Corvo quer ver concretizada deslocação de médicos especialistas à ilha

Corvo quer ver concretizada deslocação de médicos especialistas à ilha

 

Lusa/AO online   Regional   6 de Abr de 2016, 17:33

O Conselho de Ilha do Corvo quer ver concretizada a deslocação de médicos especialistas, segundo um memorando enviado ao Governo Regional dos Açores e no qual são elencadas outras propostas, destacando-se a área dos transportes.

 

O documento, a que a agência Lusa teve hoje acesso, foi enviado ao Governo dos Açores para preparar a reunião agendada para quinta-feira, no âmbito da visita anual que o executivo regional está obrigado a fazer à ilha. Esta será a última visita estatutária ao Corvo na atual legislatura.

No memorando, onde são reiteradas várias propostas de visitas anteriores, o Conselho de Ilha propõe, ainda na saúde, a viabilização da realização de exames exigidos pela medicina no trabalho naquela ilha, a mais pequena do arquipélago, com 17 quilómetros quadrados e cerca de 400 habitantes.

O Conselho de Ilha, organismo consultivo que integra autarcas e representantes dos sindicatos e associações empresariais, além de outros organismos ligados ao ambiente, pescas ou agricultura, quer ainda saber "o ponto de situação das obras de beneficiação no edifício da residência do médico", assim como o destino que está previsto dar ao mesmo, e reclama obras de beneficiação no quartel dos bombeiros.

Nos transportes, o Conselho de Ilha do Corvo defende, novamente, a alteração de horário da embarcação de passageiros "Ariel", que faz a ligação à vizinha ilha das Flores, reclamando que a época alta seja considerada entre 01 de junho e 01 de outubro com viagens diárias.

Atualmente, a época alta, com ligações diárias, compreende os meses de julho e agosto, sendo que no resto do ano as viagens fazem-se em três dias da semana.

Ao executivo regional, o Conselho de Ilha, liderado por José Manuel Silva, também presidente da Câmara de Vila do Corvo, preconiza a "construção de um armazém para a carga contentorizada, a incluir na obra do porto da Casa", zona onde é defendida a construção de um muro de suporte na orla marítima.

Os conselheiros pedem, ainda, para que seja encontrada uma solução "para a chegada de contentores de vinte pés à ilha", notando que "a atual situação não contempla a responsabilidade da carga danificada na trasfega das mercadorias para outros contentores".

No setor da agricultura, o Corvo quer, entre outras medidas, a colocação de um médico veterinário, que seja encontrada uma "solução para o transporte da carne à saída da casa de matança até ao destino final" e pede uma "compensação aos produtores de carne pela perda do subsídio aos bovinos machos, tendo em conta que os mesmos não podem ser abatidos na ilha".

O Conselho de Ilha do Corvo pretende, igualmente, conhecer o processo das obras de reparação do multiusos local e do projeto do Ecomuseu, e saber que locais podem acolher as sedes da filarmónica, escuteiros e associação de jovens.

O executivo açoriano inicia na quinta-feira uma visita ao Corvo, como está determinado no Estatuto Político-Administrativo da região, reunindo o Conselho de Governo nesse dia.

Os membros do Governo Regional vão ter encontros com entidades locais, visitar instituições, conhecer projetos e receber os cidadãos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.