Corrida às livrarias nos EUA para livro sobre primeiro ano da administração Trump

Corrida às livrarias nos EUA para livro sobre primeiro ano da administração Trump

 

Lusa/AO online   Internacional   5 de Jan de 2018, 17:16

Milhares de pessoas dirigiram-se hoje nos Estados Unidos às livrarias para comprar um novo livro sobre a administração Trump, cuja publicação foi ontem antecipada quatro dias, mas muitos voltaram a casa de mãos vazias.

"Decidiram antecipar a publicação ontem à tarde. Não foi a tempo de antecipar a entrega dos livros. Apenas as livrarias que já os tinham recebido estão a vender", explicou à Lusa uma funcionaria da Barnes & Noble em Union Square, na cidade de Nova Iorque.

A mesma funcionária diz que, uma hora depois de abrir as portas, a livraria já tinha recebido dezenas de pessoas a procura do livro.

"A entrega dos livros estava prevista para terça-feira, e, por enquanto, mantém-se essa data. Nenhuma Barnes & Noble em Manhattan está a vender o livro", explicou.

Umas ruas abaixo, na histórica Strand, também se notava a procura por "Fire and Fury: Inside the Trump White House" ("Fogo e Fúria: Dentro da Casa Branca de Trump"), um livro do jornalista Michael Wolff.

"Já tivemos pessoas a perguntar pelo livro, sim", disse um funcionário.

"A entrega estava prevista para mais tarde, mas estamos a tentar antecipar e ter uns livros para vender ainda hoje ao final do dia", acrescentou.

Michael Wolff teve acesso privilegiado aos bastidores do primeiro ano de Donald Trump como presidente dos EUA e faz uma série de revelações, incluindo que o republicano nunca acreditou que iria ganhar a corrida e que a sua equipa não acredita que ele seja capaz de desempenhar o cargo.

O livro também abriu um conflito entre Trump e o seu ex-conselheiro, Steven Bannon, devido a acusações que Bannon faz no livro. Entre outras criticas, Bannon descreve uma reunião entre o filho do presidente, Donald Trump Junior, responsáveis da campanha eleitoral do e "um grupo de advogados russos", realizado na Trump Tower em junho de 2016, como "um ato de traição" e "antipatriótica".

Em resposta, Trump disse que o seu chefe de campanha "perdeu o juízo".

Na quinta-feira, Donald Trump tentou parar a publicação do livro através dos seus advogados. A editora, Henry Holt & Co., respondeu antecipando a publicação para esta sexta-feira, quatro dias antes do planeado.

O livro está neste momento em primeiro lugar na lista de livros mais vendidos na Amazon e esgotou em muitas da livrarias que o puseram à venda esta manhã.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.