Contas da Universidade dos Açores relativas a 2015 aprovadas por maioria

Contas da Universidade dos Açores relativas a 2015 aprovadas por maioria

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Mai de 2016, 15:02

As contas da Universidade dos Açores de 2015 foram hoje aprovadas, por maioria, pelo Conselho Geral, tendo o reitor da academia afirmado que se foi para além do estipulado pelo plano de recuperação financeira.

“As contas que apresentamos mostram, uma vez mais, que a Universidade dos Açores cumpriu rigorosamente com o plano de recuperação financeira, ultrapassando-se nalguns capítulos as metas restritivas que estavam impostas”, declarou João Luís Gaspar.

O reitor, que apresentou o relatório de atividades e contas da instituição relativo a 2015, na reunião do Conselho Geral, realizada em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, declarou aos jornalistas que se continua no “bom caminho” e que as contas “estão equilibradas”.

Desde 2013 que a Universidade dos Açores está sob plano de recuperação financeira, na sequência de dificuldades financeiras com que foi confrontada, estando previsto que esta intervenção cesse no final do ano.

O responsável admitiu que o défice da academia em 2015 já foi zero, apesar desta exigência só se colocar em 2016, tendo acrescentado que a tutela, que está a rever as formas de financiamento do ensino superior no país, deverá agora dotar a academia de informação que permita trabalhar na preparação do orçamento para o ano letivo 20016/2017.

João Luís Gaspar está convicto que, tendo a academia açoriana uma dotação orçamental igual à de 2015, “é expetável” que se tenha um défice zero até final do ano, tal como aconteceu em 2015.

O reitor referiu que está prevista a possibilidade de o Governo da República compensar no final do ano, uma vez atingidas as metas do défice, a universidade com um reforço de verbas para fazer face a uma dívida contraída “há muitos anos” pela academia.

O presidente do Conselho Geral declarou, por seu turno, que foi apresentado pelos conselheiros externos um parecer sobre as contas da academia que sugere “alguns cuidados” na sua elaboração, por forma a que estas se adaptem às novas regras contabilísticas e possa dar uma “imagem mais real” das mesmas.

“Quanto mais houver uma especificação das diversas contas mais transparentes elas serão. Quanto se faz uma análise global de uma despesa, se esta não estiver compartimentada por setores não é fácil, por exemplo, atacar para se diminuir a despesa. Terá de haver uma especialização dessas contas para que seja muito mais fácil para quem gere e audita”, declarou José Brás.

José Brás considerou que as contas da instituição “têm melhorado” devido a uma contenção de custos, tendo salvaguardado, no campo da receita, que esta será inferior este ano devido à quebra do valor das propinas, face ao decréscimo verificado no número de alunos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.