Conselho de Ministros das Telecomunicações aprova Agenda Digital

Conselho de Ministros das Telecomunicações aprova Agenda Digital

 

Lusa/AO Online   Internacional   1 de Jun de 2010, 06:27

 O Conselho de Ministros europeu das Telecomunicações aprovou hoje a Agenda Digital, um documento que fixa objetivos em que Portugal “está mais avançado”, como o reforço da banda larga até 2013, referiu o secretário de Estado Paulo Campos.

Contactado pela agência Lusa, o secretário de Estado adjunto das Obras Públicas e Comunicações, Paulo Campos, que esteve hoje naquela reunião em representação de Portugal, adiantou que não foi feita qualquer referência à oferta de 5,7 milhões de euros por parte da Telefónica à Portugal Telecom, nem à possibilidade de o Governo português invocar a "golden share" que detém na operadora portuguesa para impedir o negócio.

“A Agenda Digital estabelece um conjunto de objetivos para o setor e terá um conjunto de medidas que Portugal tem vindo a adotar nos últimos tempos”, afirmou Paulo Campos.

Entre esses objetivos estão “a cobertura de banda larga móvel a cem por cento na União Europeia em 2013”.

 

Para 2020 pretende garantir-se “a cobertura com uma velocidade de 30 megabits” e com “uma velocidade acima de 100 megabits para 50 por cento das casas europeias”, sendo estes “aspetos em que Portugal já está mais avançado”, destacou o governante.

De acordo com Paulo Campos, a União Europeia (UE) adotou as práticas que foram realizadas em Portugal recentemente, como a aposta no “uso extensivo de equipamento e conteúdos digitais para apoio à educação e à aprendizagem, o que, na prática, é o programa e.escola que foi feito em Portugal e que agora tem também implementação a nível europeu”.

Paulo Campos referiu ainda que “Portugal foi apresentado como um dos países que mais têm crescido em termos de adesão à banda larga móvel”, sendo “o segundo país com maior taxa de penetração de banda larga móvel a nível europeu”, a seguir à Finlândia.

O secretário de Estado adjunto referiu ainda que “Portugal é também o segundo país [europeu] com maior taxa de penetração de telefones móveis”, considerando que estes são “resultados absolutamente satisfatórios”.

De acordo com dados europeus a que a Lusa teve acesso, “durante o último ano, a penetração móvel continuou a crescer em Portugal (nove por cento), estando nos 146,2 por cento, o que está muito acima da média da UE (121,9 por cento) e mostra o uso intensivo dos serviços móveis dos subscritores portugueses”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.