Congresso do PCP define estratégia para 2012

Congresso do PCP define estratégia para 2012

 

Lusa/AO Online   Regional   16 de Abr de 2010, 08:19

O PCP/Açores realiza sábado e domingo, em Ponta Delgada, um congresso que vai aprovar a estratégia dos comunistas para as eleições regionais de 2012 e reconduzir Aníbal Pires como coordenador da estrutura regional do partido.

Os congressos do PCP/Açores decorrem de quatro em quatro anos, assumindo este “particular importância”, segundo o líder regional comunista, por lhe competir definir as tarefas a desenvolver pelo partido tendo em vista as eleições de 2012 para o parlamento regional.

Aníbal Pires, em declarações à Lusa, salientou que o IX Congresso do PCP/Açores, que será encerrado domingo pelo secretário geral do partido, Jerónimo de Sousa, deverá definir como objetivo “fazer coincidir a expressão eleitoral do partido com a sua implantação social”.

O PCP, sozinho ou em coligação, disputou todas as eleições para o parlamento açoriano, mas nunca conquistou mais do que dois lugares numa câmara com 57 deputados.

Para Aníbal Pires, que é atualmente o único deputado comunista no parlamento regional, esta é uma representação que não reflete a implantação e a capacidade de intervenção do partido, pelo que se impõe uma “melhoria da eficácia” da ação para aumentar a influência eleitoral.

Nesse sentido, o congresso deve definir orientações que permitam corrigir “deficiências de organização” e “dificuldades de comunicação” com o eleitoral, salientou o líder regional comunista.

Na área económica, os documentos a debater pelos congressistas defendem uma “rutura com o modelo económico” implementado pelos governos regionais socialistas, que se tem traduzido no “aprofundamento das desigualdades”.

Aníbal Pires defendeu que os Açores precisam de um “novo paradigma de desenvolvimento, assente na complementaridade entre as ilhas e nos vários setores de actividade", contestando a opção do executivo regional de “concentrar investimentos no turismo em prejuízo da agricultura e das pescas”.

“Importa apostar naquilo que somos singulares, em vez de copiar modelos de desenvolvimento inadequados à realidade açoriana”, frisou.

A escolha do coordenador regional do PCP/Açores, cargo que Aníbal Pires já disse estar disponível para continuar a exercer, compete ao Conselho Regional, órgão composto por 32 membros que é eleito pelo congresso.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.