Comunidades podem fazer mais para ajudar Portugal a sair da crise

Comunidades podem fazer mais para ajudar Portugal a sair da crise

 

Lusa/AO online   Economia   19 de Nov de 2012, 08:17

As comunidades portuguesas podem fazer mais para ajudar Portugal a sair da crise, defendeu este domingo, em Caracas, o presidente executivo do grupo Banif, Jorge Tomé.

"As comunidades de portugueses fora de Portugal sempre têm contribuído (...), mas podem contribuir mais", afirmou Jorge Tomé, em declarações à agência Lusa.

Jorge Tomé falava à margem do evento "XI Encontro de Gerações - Contributos para Portugal", uma iniciativa do Banif, do Diário de Notícias da Madeira e do jornal de língua portuguesa Correio da Venezuela, que teve lugar no Centro Português de Caraca e contou com a participação do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário.

Essa contribuição, apontou o mesmo responsável, poderá ser feita "não só na forma das tradicionais remessas de divisas, que é um contributo tradicional".

"Estas comunidades hoje têm uma outra expressão que é uma expressão empresarial e através dessa expressão empresarial podem entrosar-se mais, articular-se mais com as empresas portuguesas que operam em Portugal e fazer ativar muito mais o comércio internacional de importação e exportação", disse.

Por outro lado, explicou Jorge Tomé, "um dos fatores diferenciadores do Banif é exatamente a sua expressão nas comunidades portuguesas fora de Portugal, nomeadamente na Venezuela", um mercado que "é, de facto, dentro dos mercados do Banif fora de Portugal aquele que é mais expressivo e mais importante".

Sobre o evento Encontro de Gerações precisou que "o Banif tem estado associado a estes eventos desde o princípio, considerando a iniciativa "uma forma do Banif perceber melhor o mercado da comunidade portuguesa na Venezuela".

"Estão aqui sempre dois efeitos: um que é um efeito da responsabilidade social, cultural e o Banif tem que ter essa componente, outro é uma componente de negócio, uma componente estratégica do Banif. Portanto, associando estas duas vertentes eu diria que estar associado a estes encontros faz parte do programa de ação internacional do Banif de estar mais ligado a estas comunidades", concluiu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.