comunidade vida e paz recebe cada vez mais desempregados


 

Lusa/AO On line   Nacional   12 de Nov de 2010, 05:55

Quase um terço das pessoas que recorrem à Comunidade Vida e Paz pedem ajuda para arranjar emprego, uma realidade que tem aumentado nos últimos dois anos, segundo um responsável da organização.

Anualmente a Comunidade Vida e Paz analisa mil casos que passam pelo seu “Espaço Aberto ao Diálogo” e constata que atualmente cerca de 30 por cento das pessoas batem à sua porta à procura de um emprego.

“Se antes em apenas 10 a 15 por cento das pessoas a grande necessidade era de procura de emprego, atualmente são cerca de 30 por cento. Há um aumento de pessoas cuja necessidade objetiva de ajuda é emprego”, relata à agência Lusa Celestino Cunha, coordenador das equipas de rua da organização.

O responsável reconhece que este aumento significa que as pessoas estão “mais vulneráveis e já recorrem a ajudas mais de fim de linha”.

“Antes, se calhar, estariam a pedir essa ajuda nos centros de emprego ou com meios próprios”, refere.

O que também tem crescido é a quantidade de pedidos de ajuda por parte de famílias, que procuram sobretudo apoio alimentar.

Há também mais pessoas a recorrer à ajuda das equipas de ruas da Comunidade Vida e Paz que o fazem de forma discreta, numa tentativa de evitarem a conotação com os sem-abrigo.

“Estas pessoas deixam-nos a sensação de que estarão numa situação problemática mas que ainda lhes custa admitir. Há um maior número de pessoas que assume esse comportamento”, descreve Celestino Cunha.

As dificuldades já chegaram também a esta instituição de solidariedade social que atua nas ruas de Lisboa.

“Sentimos que nos últimos tempos há um aumento da dificuldade em obtermos as ajudas que regularmente recebíamos. Temos que repensar bastante as nossas formas de atuação e alargar o âmbito das fontes de ajuda”, admite o responsável pelas equipas de rua.

A angariação de mais apoios é essencial para evitar que tenham de deixar de admitir pessoas que precisam de apoio.

“A nossa preocupação é a seguinte: tendo em conta que os apoios do Estado jamais aumentarão e que há uma certa retração na ajuda das pessoas, teremos de alargar o âmbito de pedido de ajuda”, explica Celestino Cunha.

A Comunidade Vida e Paz é uma Instituição Particular de Solidariedade Social que trabalha essencialmente nas ruas de Lisboa e o seu principal enfoque é a reabilitação de sem-abrigo.

Das 230 camas de reabilitação de que dispõe consegue todos os anos reinserir socialmente 80 a 90 pessoas, que deixam assim de estar dependentes do sistema.

Além desta vertente, a organização ajuda 450 pessoas todas as noites nas ruas de Lisboa, com a distribuição de alimentos e agasalhos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.