Brexit

Comissários europeus reúnem-se em Bruxelas, Merkel, Hollande e Renzi em Berlim

Comissários europeus reúnem-se em Bruxelas, Merkel, Hollande e Renzi em Berlim

 

Lusa/AO Online   Internacional   27 de Jun de 2016, 07:45

O referendo a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), continua hoje a marcar a agenda, com reuniões do colégio de comissários europeus e da chanceler alemã com o presidente francês e o primeiro-ministro italiano.

O colégio de comissários europeus reúne-se hoje para preparar a cimeira de líderes europeus de terça e quarta-feira, que se concentrará na resposta a dar à decisão dos eleitores britânicos de retirarem o Reino Unido da União.

A Comissão Europeia manifestou-se pronta a “desempenhar o seu papel nas negociações do artigo 50.º (do Tratado de Lisboa sobre a saída de um país-membro)” e reafirmou que ficaram anulados os termos do acordo entre o Reino Unido e os 27 alcançado em fevereiro.

Durante as negociações, segundo a Comissão, os tratados e as leis comunitárias continuam a ser aplicáveis ao Reino Unido.

Em Berlim, a chanceler alemã, Angela Merkel, reúne-se hoje com o presidente de França, François Holande, e com o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi.

Os três líderes vão debater a resposta a dar ao processo de saída do Reino Unido da UE e as medidas necessárias para reforçar e reformar a UE depois do "choque" da decisão dos britânicos.

No domingo, François Hollande defendeu que a França e a Alemanha devem “tomar a iniciativa" depois de os eleitores britânicos terem decidido que o seu país deveria abandonar a União Europeia.

Horas depois, fontes próximas do presidente da França citadas pela AFP afirmaram que François Hollande e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, chegaram no domingo a um "acordo completo" sobre como lidar com o resultado do referendo britânico, que optou pela saída da UE.

O acordo foi firmado durante uma conversa pelo telefone entre os dois líderes e não foram fornecidos mais pormenores.

Hollande e Merkel também sublinharam a "necessidade de iniciativas a favor da Europa e de agir rapidamente em relação a prioridades concretas".

Berlim deseja que as negociações entre Londres e a UE comecem o mais rapidamente possível e decorram pragmaticamente e sem rancor. Londres só quer iniciar as negociações em outubro.

Os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da UE, depois de o 'Brexit' (nome como ficou conhecida a saída britânica da União Europeia) ter conquistado 51,9% dos votos no referendo de quinta-feira.

Logo na sexta-feira, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou a sua demissão, com efeitos em outubro, e os líderes da UE defenderam uma saída rápida do Reino Unido.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.