Comissário favorável a medidas para agir em mercado aberto do leite

Comissário favorável a medidas para agir em mercado aberto do leite

 

Lusa/AO Online   Internacional   11 de Jun de 2010, 15:17

O Comissário Europeu da Agricultura disse hoje, em Santarém, que, depois de 2015, será necessário encontrar mecanismos que tenham em conta o mercado aberto e a produção regional e local de leite.

Dacian Ciolos, que hoje participou, com o ministro da Agricultura português, António Serrano, num debate sobre o futuro da Política Agrícola Comum (PAC), reagia à questão do fim das quotas leiteiras em 2015 e à preocupação de que este mercado fique totalmente liberalizado.

“Com ou sem quota, há um problema de capacidade de negociação dos produtores com a indústria transformadora no setor do leite”, disse, referindo a crise atravessada pelo setor em 2009.

Sublinhando que se deparou com a decisão, tomada pelo Conselho Europeu, de acabar com as quotas leiteiras e que é nesse quadro que terá de trabalhar, o ex ministro romeno da Agricultura afirmou ser sua prioridade “encontrar um novo instrumento para, em mercado aberto, poder agir”.

“Se temos produtos que vêm do exterior e se exportamos, termos quotas administradas só a nível europeu não é solução. Depois de 2015 teremos ocasião de aplicar outro tipo de mecanismos que tenham em conta o mercado aberto e a produção regional e local, porque produzir leite na Dinamarca não é o mesmo que produzir leite em Portugal”, afirmou.

O fim das quotas leiteiras foi uma das questões abordadas no seminário “O Futuro da PAC”, organizado pela Confederação de Agricultores de Portugal (CAP) em colaboração com o Ministério da Agricultura e que contou com a participação dos eurodeputados Maria do Céu Patrão Neves (PSD), Capoulas Santos (PS) e Nuno Melo (CDS/PP).


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.