Comissão Europeia admite antecipar pagamento de apoios aos agricultores

Comissão Europeia admite antecipar pagamento de apoios aos agricultores

 

Lusa/AO Online   Economia   27 de Jun de 2016, 17:19

A Comissão Europeia admitiu hoje antecipar para outubro o pagamento de 70% das ajudas diretas no âmbito da Política Agrícola Comum, uma proposta portuguesa que deverá ser incluída num pacote de medidas de apoio ao setor a apresentar em julho.

 

Para o ministro da Agricultura, Capoulas Santos, citado num nota de imprensa, trata-se de uma “importante medida que, se for aprovada, permitirá a chegada de algum apoio aos produtores um pouco mais cedo do que o previsto no calendário normal, mas que, ainda assim, não é suficiente”.

O governante português que participou hoje, no Luxemburgo, na reunião do Conselho de Ministros da Agricultura destacou, ainda, que ficou reconhecida, por uma maioria dos Estados-Membros e pela Comissão Europeia a necessidade de avançar com medidas de apoio específicas, tendo em conta a situação de dificuldade que os produtores atravessam em toda a União Europeia.

“Trata-se de uma alteração qualitativa de grande importância na posição dos Estados-Membros”, considerou Capoulas Santos, acrescentando que “há meses que Portugal vem reivindicando a necessidade de adoção de medidas extraordinárias”, que “esbarraram permanentemente na falta de vontade política de uma maioria que considera que deve ser o mercado a resolver o problema”.

Também o secretário açoriano da Agricultura, que participou neste Conselho Europeu admitiu ter saído “moderadamente satisfeito” e “expectante” quanto ao anúncio de apoios extra para o setor na reunião do próximo dia 18 de julho.

“Ficou o compromisso (do Comissário Europeu da Agricultura) de no próximo Conselho de Ministros anunciar um conjunto de medidas, um grupo de apoios exatamente para contrariar essa tendência dos mercados, que ainda não se normalizaram face a todos os constrangimentos com que se têm debatido”, afirmou em declarações à agência Lusa Luís Neto Viveiros, após o encontro.

O governante açoriano referiu, ainda, que o arquipélago continua a aguardar por uma deslocação do Comissário Europeu da Agricultura, algo que deverá ocorrer apenas em 2017, para que “possa ver ´in loco´ como se produz nas ilhas e quais as dificuldades” inerentes a uma região arquipelágica.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.