Comissão de inquérito ao transporte marítimo nos Açores termina sem estudo do LNEC


 

Lusa/AO Online   Regional   11 de Jan de 2016, 17:52

A comissão de inquérito aos transportes marítimos nos Açores termina no dia 19 sem o estudo técnico do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), por falta de entendimento entre os partidos, disse hoje o presidente da comissão.

“Na reunião informal que hoje mantivemos, no Faial, não houve entendimento entre todos os partidos para prorrogar o prazo de vigência desta comissão, que está agendado para 19 de janeiro”, afirmou à Lusa João Bruto da Costa (PSD), acrescentando que a proposta de relatório final será enviada ainda hoje a todos os partidos.

Foi a deputada única do Bloco de Esquerda que solicitou em outubro à comissão de inquérito para que o parlamento pedisse ao LNEC um estudo técnico ao cabeço de amarração envolvido no acidente mortal no porto de São Roque do Pico.

Zuraida Soares já considerou tratar-se de um documento essencial do qual o BE não prescinde, pelo que agendou para terça-feira uma conferência de imprensa, no parlamento, na ilha do Faial, para se pronunciar sobre a decisão tomada hoje pela comissão de inquérito.

A comissão de inquérito aos transportes marítimos foi criada, por proposta do PSD, para investigar acidentes ocorridos no final de 2014 na ilha do Pico, num dos quais morreu um passageiro da Transmaçor, uma das empresas públicas açorianas que assegurava o transporte marítimo de pessoas e viaturas no arquipélago, entretanto fundida na Atlânticoline.

A comissão de inquérito pretende ainda analisar investimentos feitos em portos e barcos nos Açores.

O prazo legal desta comissão de inquérito aos transportes marítimos já foi prorrogado várias vezes, estando as últimas reuniões agendadas para os dias 18 e 19 na delegação do parlamento em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.