Comemorações dos 100 anos do Teatro Faialense arrancam esta semana na Horta

Comemorações dos 100 anos do Teatro Faialense arrancam esta semana na Horta

 

LUSA/AO Online   Regional   3 de Abr de 2016, 15:13

A Câmara Municipal da Horta, nos Açores, inicia esta semana as comemorações dos 100 anos do Teatro Faialense, a única sala de cinema da ilha do Faial, que durante vários anos esteve encerrada ao público.

O edifício, construído em 1916, foi durante muitos anos gerido pela família Vasconcelos Corrêa e Ávila, que era também proprietária do imóvel, onde se realizavam espetáculos musicais, se apresentavam peças de teatro ou se exibiam filmes. Contudo, a atividade cultural e até mesmo o cinema mudo não nasceram no Faial há apenas 100 anos. Segundo uma crónica recente publicada no jornal Tribuna das Ilhas pelo historiador Fernando Faria, antes da construção do Teatro Faialense já existia um outro edifício no mesmo local, denominado "Teatro União Faialense", que tinha sido inaugurado em setembro de 1856. "Decorreram os anos e o Teatro União Faialense, desgastado pelo uso, revela-se pequeno e deficiente, pelo que se impunha a edificação de uma nova casa de espetáculos, dimensionada e confortável, que melhor respondesse às exigências do público", escreve o articulista. Foi assim que, a 06 de abril de 1916, é inaugurado o "reconstruído" Teatro Faialense que, durante décadas, deu corpo ao crescente movimento cultural da ilha do Faial, considerado um dos mais dinâmicos e mais interventivos do arquipélago. A progressiva degradação do edifício do Teatro Faialense, aliada a um declínio da atividade cultural na ilha, na década de 1980, levou ao encerramento do edifício, inviabilizando, por exemplo, a exibição de filmes no Faial durante vários anos. Procurando reativar os espetáculos culturais e o cinema na ilha, o município adquiriu o imóvel em 1995, iniciando posteriormente um processo de restauro e ampliação que terminou em 2003 e mereceu um prémio arquitetónico. Volvidos 100 anos sobre a data de construção, o município decidiu realizar várias iniciativas para comemorar o centenário, que se iniciam na quarta-feira e se prolongam durante um ano. O presidente da Câmara da Horta, José Leonardo Silva, afirmou que o objetivo do programa é trazer "qualidade e dignidade ao espetáculo" na ilha do Faial. Segundo o autarca, a sessão solene, marcada para o primeiro dia das comemorações, e a gala cultural que irá encerrar a efeméride, são os "momentos altos" do programa, que integra exposições, concertos, teatro, bailes, cinema, dança, e o lançamento de um selo e de uma medalha comemorativos. A iniciativa inclui, ainda, espetáculos de artistas locais e outros nacionais, como Maria João e Mário Laginha, que vão atuar num concerto na quinta-feira. As comemorações contemplam, por outro lado, um encontro de coros, um ciclo de cinema e outro de teatro, fados e um festival de âmbito regional de música jazz, além de espetáculos de comédia e "stand-up". Atualmente, o Teatro Faialense é gerido pela empresa municipal UrbHorta que, segundo José Leonardo Silva, tem conseguido "dinamizar" o espaço, promovendo paralelamente espetáculos diversos, além de palestras, seminários e congressos. A maioria dos espetáculos previstos no programa comemorativo dos 100 anos do Teatro Faialense vai ser paga, com preços entre os seis e os 12 euros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.