Coliseu Micaelense renova polo museológico no ano do centenário

Coliseu Micaelense renova polo museológico no ano do centenário

 

LUSA/AO online   Cultura e Social   10 de Jan de 2017, 13:19

O Coliseu Micaelense, que este ano celebra o centenário, vai renovar o polo museológico e criar uma microbiblioteca e um espaço para venda de artigos alusivos à maior sala de espetáculos dos Açores, foi hoje anunciado

Numa conferência de imprensa, em Ponta Delgada, o diretor-geral do Coliseu Micaelense, Miguel Brilhante, adiantou que será introduzido no polo museológico, inaugurado em 2007, “mais informação”, através do incremento de novas tecnologias, com a colaboração da RTP/Açores e parceiros privados.

Inaugurado a 10 de maio de 1917, o então designado Coliseu Avenida foi construído como réplica do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, em plena I Guerra Mundial, na cidade de Ponta Delgada.

Presentemente, o polo museológico, localizado no último andar do imóvel, tem expostos vários objetos que preservam a memória da casa de espetáculos e fotografias antigas.

A cem dias do primeiro centenário do Coliseu Micaelense, que se assinala a 10 de maio com um jantar de gala, Miguel Brilhante revelou ainda que será criada uma microbiblioteca temática, com a colaboração de editoras e espólios privados, bem como um espaço próprio no edifício para a venda de artigos.

Do programa das comemorações fazem também parte o lançamento de dois livros sobre a história da sala de espetáculos, concertos, teatro, exposições, homenagens e os tradicionais bailes de Carnaval, cujos bilhetes começam hoje a ser vendidos ao público.

“Vamos honrar o passado fortalecendo a memória coletiva, enaltecer o presente com o nosso contributo massivo e projetar, em novas rotas e circuitos culturais, o futuro do nosso coliseu”, afirmou Miguel Brilhante, acrescentando que foi preparada uma “programação eclética” em “cem eventos multifacetados”.

Referindo-se ao papel da sala de espetáculos, Miguel Brilhante destacou que o coliseu proporcionou à população micaelense e aos seus visitantes o incremento dos tempos livres e do lazer, numa conjuntura complexa, não só pela proclamação da República, em 1910, mas também pela eclosão da I Grande Guerra Mundial.

Para o presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, o Coliseu Micaelense é uma “referência nacional e icónica” ao nível cultural.

“O país tem três coliseus [Lisboa, Porto e Ponta Delgada]. É no contexto das ilhas atlânticas de Portugal o único. Tem 100 anos de existência. É, por isso, uma demonstração de resiliência e da capacidade que o povo insular, aqui em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, teve para com a cultura e a descoberta de talentos”, considerou José Manuel Bolieiro.

Após vários anos de degradação, a Câmara Municipal de Ponta Delgada comprou o edifício do Coliseu em 2002 e avançou depois com obras de recuperação, tendo reaberto a casa de espetáculos ao público em 2005.

O Coliseu Micaelense é uma das atuais três empresas municipais de Ponta Delgada.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.