Clinton admite derrota dolorosa

Clinton admite derrota dolorosa

 

Lusa/AO online   Internacional   9 de Nov de 2016, 16:53

A candidata democrata às presidenciais norte-americanas, Hillary Clinton, afirmou que a derrota "é dolorosa", mas instou os seus apoiantes a "aceitarem os resultados" e a darem uma "oportunidade para liderar" a Donald Trump.

 

“Donald Trump vai ser presidente. Devemos-lhe uma mente aberta e uma oportunidade para liderar”, disse Clinton, acrescentando ter-se oferecido para trabalhar com o novo presidente no que for necessário.

“Nesta campanha, vimos que o país está mais dividido do que pensávamos”, disse, frisando a importância de todos defenderem “valores comuns” como o primado da lei, a igualdade e a não-discriminação.

Clinton, que falava publicamente pela primeira vez desde que foram conhecidos os resultados da eleição de terça-feira, admitiu “não ser este o resultado” por que lutou, mas disse sentir “orgulho e gratidão” pela campanha e agradeceu o esforço de todos os seus apoiantes.

“Isto é doloroso e vai ser durante muito tempo, mas a campanha nunca foi sobre uma pessoa, é sobre o país”.

Hillary Clinton começou por agendar o discurso de reconhecimento da derrota para as 09:30 de Nova Iorque (14:30 em Lisboa), adiando-o por uma hora pouco depois e acabando por proferi-lo às cerca das 11:40, duas horas e dez minutos depois da hora inicialmente marcada.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.