Ciclista morre, comboios param, árvores caem e barras fecham


 

AO/Lusa   Nacional   14 de Fev de 2016, 18:28

O mau tempo que atingiu este fim de semana Portugal continental, sobretudo as regiões Norte e Centro, causou a morte de um ciclista, várias inundações e quedas de árvores, interrupção de ligações ferroviárias e o encerramento de barras marítimas.

 

O corpo do ciclista, que foi arrastado no sábado pela enxurrada junto ao Rio Vouga, na estrada da Cambeia, Angeja, Albergaria-a-Velha, foi encontrado hoje à tarde.

Segundo a Proteção Civil, a maioria das situações verificadas hoje, sobretudo no norte e centro do país, fustigados por chuva intensa e vento forte, prendeu-se com inundações, quedas de árvores e deslizamentos de terra.

No Peso da Régua, distrito de Vila Real, duas pessoas tiveram de ser retiradas durante a noite de uma habitação que ficou parcialmente soterrada, devido a um desabamento de terras.

A circulação de comboios na Linha do Norte voltou hoje a ser afetada, devido à inundação de vias, com a interrupção, nomeadamente, de dois troços, um entre Ovar e Aveiro, e outro entre Coimbra B e Pombal.

Algumas estradas, inundadas, mantiveram-se condicionadas à circulação.

A forte agitação marítima levou, novamente, ao encerramento de barras, nove de um total de 23.

Na zona do Forte de São Miguel, na Nazaré, a Polícia Marítima teve de retirar seis pessoas, face ao vento, com rajadas com mais de cem quilómetros por hora.

No concelho de Santa Marta de Penaguião são estimados, de acordo com o presidente do município, prejuízos de 500 mil euros, na sequência da destruição de vinhas, muros e estradas.

A Autoridade Nacional da Proteção Civil decidiu hoje manter o nível de alerta amarelo, o terceiro mais grave, até às 08:00 de segunda-feira, altura em que é esperado um desagravamento do estado do tempo.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.