China restringe exportações de 'drones' e supercomputadores por motivos de segurança

China restringe exportações de 'drones' e supercomputadores por motivos de segurança

 

AOnline/LUSA   Internacional   2 de Ago de 2015, 09:46

O Governo chinês vai restringir, a partir de 15 de agosto, a exportação de alguns tipos de 'drones' e supercomputadores por motivos de segurança nacional, informou hoje a imprensa chinesa.

A decisão, acordada pelo Ministério de Comércio e a Administração Geral das Alfândegas, é dirigida a dispositivos para uso militar.

A proibição de venda no exterior vai ser aplicada aos ‘drones’ – veículos aéreos não tripulados – com capacidade de voo durante mais de uma hora ou acima de 15.420 metros, ou que sejam capazes de operar sob ventos fortes.

A restrição abrange ainda computadores equipados com 8 'teraflops’, ou seja, com capacidade de oito mil milhões de operações por segundo.

As autoridades chinesas não especificaram as razões pelas quais estes aparelhos podem afetar a segurança nacional chinesa.

A imprensa chinesa cita um incidente com um ‘drone’ abatido pelo exército paquistanês e alegadamente controlado pelas forças armadas indianas, numa zona fronteiriça disputada pela Índia e Paquistão, que se acredita ser de fabrico chinês.

Estima-se que a decisão seja uma tentativa por parte do governo chinês de proteger uma tecnologia que é considerada chave no seu desenvolvimento militar.

“A proibição destina-se aos ‘drones’ não desenhados para uso comercial e vai proteger as tecnologias chave das empresas chinesas", disse Shao Jianhuo, vicepresicente da DJI Technology, o principal fabricante de ‘drones’ de uso civil chinês, citado pelo diário oficial China Daily.

A DJI anunciou também este fim de semana que em junho e julho triplicou as suas vendas de ‘drones’ na América Latina em relação ao período homólogo do ano passado.

O México, Brasil, Chile e Paraguai foram os seus principais mercados, segundo a empresa chinesa.

A China exportou entre janeiro e maio deste ano 160.000 ‘drones’ civis, 69 vezes mais do que no mesmo período do ano anterior, pelo valor de 121 milhões de dólares, 55 vezes mais, segundo dados oficiais.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.