Chegada de refugiados à UE tem um "impacto económico positivo pequeno"


 

Lusa/AO online   Economia   5 de Nov de 2015, 10:56

A chegada de refugiados à União Europeia (UE) pode ter um "impacto positivo pequeno", segundo a primeira avaliação económica da Comissão Europeia à chegada de milhares de requerentes de asilo incluída nas previsões de outono hoje divulgadas em Bruxelas.

 

De acordo com a avaliação, a curto prazo haverá uma subida da despesa pública, mas a médio prazo será registado um aumento do crescimento graças à subida na oferta do mercado de trabalho.

O impacto do crescimento na União Europeia, como um todo, “será pequeno, podendo, porém, ser mais considerável em alguns Estados-membros”, previu ainda o executivo comunitário.

No último balanço sobre a gestão da crise dos refugiados, metade dos 28 Estados-membros da UE tinha-se disponibilizado para receber 1.418 pessoas, com Portugal a garantir que pode disponibilizar 100 lugares, da lista de refugiados para recolocação imediata.

O acolhimento resulta do mecanismo de recolocação de 160 mil refugiados pelos países da UE, e, deste total, Portugal deverá receber cerca de 4.500 refugiados.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.