Taça de Portugal

Chaves com apuramento inédito para a final

Chaves com apuramento inédito para a final

 

Lusa/Aonline   Futebol   13 de Abr de 2010, 20:35

O Desportivo de Chaves, da Liga Vitalis, venceu a Naval, da Liga Sagres, por 2-1, qualificando-se pela primeira vez para a final da Taça de Portugal em futebol

Houve um “tomba gigante” na Taça de Portugal. O Chaves depois de afastar o Paços de Ferreira, nos quartos-de-final, repetiu a proeza ao eliminar a Naval, tendo vencido o jogo da primeira mão, por 1-0.
O Chaves fez jus à vitória e esperou pelo momento certo para dar o xeque-mate, mas, pela forma como o jogo decorreu e com as vicissitudes do mesmo, o triunfo flaviense foi por demais justificado.
O Chaves apresentou-se como debutante nesta fase da Taça, tentando a honraria de marcar presença na final da Taça, mas também de salvar uma temporada futebolística.
Na primeira incursão dos flavienses na área da Naval, minuto 10, Diop cai na área em luta com Gómis e os flavienses reclamaram grande penalidade.
Cinco minutos volvidos, a Naval inaugura o marcador e iguala a eliminatória por Fábio Júnior. Cobrança de bola parada, esférico desviado ao segundo poste Fábio Júnior de “bicicleta” não perdoou. Reagiram os flavienses ao golo figueirense. A equipa de Tulipa avançou no terreno e, aos 26 e 37, Danilo e Samsom colocaram Peiser à prova com dois remates de grande perigo.
Aos 70 e 81 minutos, Rui Rego com duas defesas arrojadas negou o golo a Fábio Júnior e Camora e o cenário de prolongamento começou a ganhar consistência.
Inácio guardou para o início do prolongamento o seu último trunfo de banco: Kerrouche.
Completado o primeiro minuto do prolongamento Edu cai na área e o banco do Chaves salta em protesto, Castanheira, que já tinha sido substituído, acaba por ser admoestado com uma vermelho directo.
Na etapa inicial do prolongamento, um cabeceamento de Godemèche, bem resolvido por Rui Rego, foi o lance mais perigoso.
Cinco minutos após o início do prolongamento o Chaves iguala a partida por Edu e passa novamente a ter vantagem na eliminatória. Lançamento longo de Ricardo Rocha, Edu persegue a ver no que dá e ganha o esférico perante a passividade de Camora e Peiser. Não ficou por aqui a festa dos transmontanos. O mesmo Edu, em cima dos 119, garantiu o triunfo do Chaves com mais um golo.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.