CGTP reivindica aumentos de 3% para 2015 e salário mínimo de 540 euros

CGTP reivindica aumentos de 3% para 2015 e salário mínimo de 540 euros

 

Lusa/AO Online   Economia   2 de Set de 2014, 08:40

A CGTP vai esta terça-feira reivindicar aumentos salariais de 3 por cento para o próximo ano e a fixação do Salário Mínimo Nacional (SMN) nos 540 euros em janeiro de 2015, disse à agência Lusa fonte sindical.

 

A proposta de política reivindicativa da comissão Executiva vai ser hoje discutida no Conselho Nacional da CGTP-IN, que a deverá aprovar, e servirá de orientação aos sindicatos da central para o período de negociação e reivindicação que se avizinha.

A Intersindical defende que todos os trabalhadores devem ter um aumento salarial de pelo menos 30 euros.

Para o SMN a Inter reivindica um aumento de 30 euros retroativo a 1 de junho, para os 515 euros, e um novo aumento no início de 2015, para os 540 euros ou 545 euros.

O objetivo da CGTP, é que esta remuneração passe para os 600 euros em 2016, de forma gradual, disse à Lusa outra fonte sindical.

O Conselho Nacional da CGTP reúne-se hoje pela primeira vez após o período de férias para analisar a situação laboral, social, económica e política do país, definir a sua Política Reivindicativa para 2015 e decidir ações de luta a desenvolver nos próximos tempos.

Neste encontro, que marca normalmente a rentrée sindical, a Inter, deverá marcar "uma grande ação de luta nacional" para o final de outubro ou princípio de novembro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.