CGTP defende caminho alternativo para evitar empobrecimento


 

Lusa/AO On line   Nacional   4 de Nov de 2010, 05:41

O secretário geral da CGTP, Manuel Carvalho da Silva, defendeu hoje a necessidade de serem encontradas alternativas para evitar o empobrecimento generalizado da população, perante a continuação da crise.

"É indispensável chamar a atenção para os efeitos causados pelas políticas que têm sido seguidas e pelas medidas que têm sido tomadas, que estão a levar ao empobrecimento generalizado da população e a criar o risco de grande pobreza para as camadas mais desprotegidas", disse Carvalho da Silva à agência Lusa.

O sindicalista considerou "imperioso" que se encontrem "caminhos alternativos", nomeadamente recentrando a economia na produção de bens e produtos úteis ao desenvolvimento da sociedade, apostando na criação de emprego, combatendo a precariedade e a redução da retribuição dos salários.

O cumprimento do acordo para a valorização do Salário Mínimo Nacional, que prevê que este se fixe nos 500 euros em 2011, e a reposição da proteção social para os mais desfavorecidos são outras das reivindicações do líder da CGTP.

"Porque nós estamos, infelizmente, numa situação de continuação e de aprofundamento da crise", disse, lembrando que este ano foi adotado pela União Europeia e por Portugal como o ano de combate à pobreza e à exclusão social.

"Estamos perante uma enorme hipocrisia, porque o que os políticos produziram foi uma sucessão de medidas que contribuíram para o aumento da pobreza e da exclusão social", disse Carvalho da Silva, referindo o aumento do desemprego, a desvalorização dos salários e a redução dos apoios sociais aos mais desfavorecidos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.