Política

César diz que não está a preparar participação na vida política nacional

César diz que não está a preparar participação na vida política nacional

 

Lusa/AO online   Regional   9 de Out de 2011, 14:04

O presidente do PS/Açores, Carlos César, assegurou hoje que a decisão de não se candidatar de novo à presidência do executivo regional não visa preparar uma eventual participação na vida política nacional, frisando que é “viciado nos Açores”

“Não estou a tratar do meu futuro político, mas do futuro da nossa região. As observações sobre a relação entre a decisão que tomei e a participação na vida política nacional são ocupações ociosas de alguns observadores que não compreendem os Açores”, afirmou Carlos César em declarações aos jornalistas em Ponta Delgada. Carlos César frisou ser “viciado nos Açores”, acrescentando que, em termos políticos, “nada” o faria sair do arquipélago. O líder regional socialista, que anunciou na sexta-feira a decisão de não se candidatar a um novo mandato como presidente do governo regional nas eleições de 2012, frisou, no entanto, que pretende continuar na vida política depois de terminar o atual mandato. “Sou um ser politico, sou um cidadão de corpo inteiro e a cidadania exerce-se também nessa dimensão”, frisou, remetendo para “o tempo devido” a decisão sobre quais as funções que poderá vir a desempenhar. Nas primeiras declarações que prestou aos jornalistas depois da escolha de Vasco Cordeiro como candidato do PS à presidência do executivo regional nas eleições de 2012, Carlos César elogiou o “grande exemplo de unidade, consciência e responsabilidade” que o partido deu. O líder do PS/Açores referia-se ao facto de o partido ter escolhido, por unanimidade, em dois órgãos diferentes, no espaço de dois dias o seu candidato às eleições regionais. “Vasco Cordeiro conquistou rapidamente o coração dos socialistas açorianos, agora a sua tarefa é conquistar solidamente o coração de todos os açorianos”, afirmou, acrescentando que o atual secretário regional da Economia é “é o que os Açores precisam”. “Ele merece a confiança dos açorianos, é competente, inovador, criativo”, frisou. Carlos César escusou-se, no entanto, a revelar se vai manter-se na presidência do PS/Açores até às eleições regionais de 2012 ou se passará o cargo para Vasco Cordeiro, considerando que “uma coisa não tem relação com a outra”, além de ser “um detalhe” em que os socialistas ainda não pensaram. No mesmo sentido, não revelou se pretende candidatar-se a deputado nas regionais do próximo ano, frisando apenas que não tem preocupações nessa área. “O meu objetivo é continuar a garantir um governo eficiente, de combate, capaz de ajudar as famílias e as empresas nesta situação difícil”, afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.