César diz que mais importante que falar da crise é tomar medidas para a ultrapassar

César diz que mais importante que falar da crise é tomar medidas para a ultrapassar

 

Lusa / AO online   Regional   25 de Abr de 2010, 22:28

O presidente do Governo Regional dos Açores, Carlos César, rejeitou hoje a acusação de que vive no “país das maravilhas”, frisando que, mais importante que dizer todos os dias que há crise, é tomar medidas para a ultrapassar.

“Não vale a pena estar todos os dias a dizer que temos crise, o importante é todos os dias tomar medidas para recuperar e melhorar a situação”, afirmou Carlos César, em declarações aos jornalistas em Ponta Delgada.

“Todos sabem que vivemos uma situação de dificuldades e também todos sabem que os Açores têm a mais pequena taxa de desemprego do país, mas o que toda a gente quer é que todos os dias acordemos com determinação para combater a situação difícil em que estamos”, acrescentou.

Carlos César desvalorizou a acusação feita hoje pela líder do PSD/Açores, Berta Cabral, para quem o discurso do governo regional não está de acordo com a realidade, considerando que o presidente do executivo “vive no país das maravilhas”.

“Há pessoas que engordam com a crise, gostam que se saiba que há crise, que empurram para baixo os Açores, mas eu continuo a preferir todos os dias dar esperança, anunciar novas medidas, puxar para cima os Açores”, afirmou.

Nesse sentido, frisou que deixa à líder da oposição açoriana “a tarefa de tentar enterrar os Açores”.

“Se há uma líder da oposição que só quer enterrar os Açores e chamar a atenção para as desgraças, há um presidente do governo que toma medidas todos os dias e que quer puxar para cima todos os dias”, acrescentou.

Carlos César destacou ainda a importância das comemorações do 25 de Abril para a mobilização dos portugueses contra a atual situação do país.

“É graças ao 25 de Abril que é possível ter esperança em tempo de crise, porque (esta data) representa o exercício da liberdade e o apelo à participação de todos na recuperação da difícil situação em que vivemos”, afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.