César diz que a região é reconhecida como "local qualificado de escala" de navios de cruzeiro

César diz que a região é reconhecida como "local qualificado de escala" de navios de cruzeiro

 

Lusa / AO online   Regional   28 de Jul de 2012, 18:19

O presidente do Governo dos Açores, Carlos César, destacou hoje o facto de a região ter passado a ser reconhecida a nível internacional, como um "local qualificado de escala" de navios de cruzeiro.

 

O governante, que falava na cerimónia inaugural do novo cais de passageiros da cidade da Horta, lembrou que o turismo de cruzeiro tem registado uma evolução "muito positiva", potenciada pela "acolhimento especializado" dos portos do arquipélago.

"De um volume de atividade perfeitamente residual nos anos noventa, passámos a ter a escalar anualmente os portos dos Açores, uma centena de navios de cruzeiros, com cerca de 100 mil turistas, e passámos a ser reconhecidos internacionalmente como um local qualificado de escala", sublinhou Carlos César.

No seu entender, o novo cais de passageiros da cidade da Horta vem também "fortalecer" a oferta de terminais para turismo de cruzeiros na região, já que está dotado de um cais acostável com 280 metros de comprimento, que permite a operação de navios de turistas.

A obra, que representa um investimento superior a 40 milhões de euros, terá, na opinião de Carlos César, "reflexos muito positivos e duráveis para a economia da ilha", além de poder vir a gerar uma nova "dinâmica" naquele ponto da cidade, que fica no lado oposto ao porto comercial.

Carlos César destacou ainda que, além dos navios de cruzeiros, o novo cais de passageiros vai também receber os navios a Atlânticoline, que asseguram o transporte de passageiros e viaturas na região, e também os barcos da Transmaçor, que ligam as ilhas do Triângulo (Faial, Pico e São Jorge).

Só a operação da Transmaçor, movimenta anualmente mais de 400 mil passageiros e será reforçada, em 2014, com a entrada de dois novos navios, já encomendados pelo Governo, que além de passageiros, podem também transportar viaturas.

O chefe do executivo açoriano referiu-se também ao transporte de mercadorias, que segundo explicou, sofreu uma "melhoria significativa" da sua eficiência e regularidade, mas lembrou que é preciso agora procurar assegurar preços mais acessíveis.

"É crescentemente importante para a nossa economia empresarial a diminuição dos custos dos fretes", destacou o governante.

No seu entender, essa redução poderá ser possível através da melhoria do ordenamento e organização dos espaços portuários, da contenção das tarifas portuárias cobradas aos armadores, ou de soluções para o escoamento mais rápido de produtos contentorizados para o exterior.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.