Cerca de oito mil membros das forças governamentais mortos desde o início da crise

Cerca de oito mil membros das forças governamentais mortos desde o início da crise

 

Lusa/AO online   Internacional   30 de Ago de 2012, 14:18

Cerca de 8.000 soldados e membros das forças governamentais sírias foram mortos desde o início da crise na Síria, em março de 2011, avançou hoje o diretor do hospital militar Techrine, em Damasco, citado pela agência France Presse.

"Acredito que cerca de 8.000 soldados e membros das forças de segurança foram mortos desde o início da crise", afirmou o médico, com patente de general, que preferiu não ser identificado.

“Recebemos uma média diária de 15 a 20 corpos de soldados e de membros das forças de segurança, número que aumentou desde o início do ano”, precisou o responsável.

“Cerca de 70 por cento das vítimas militares são transportadas para o nosso hospital e as restantes são distribuídas para os estabelecimentos hospitalares que se encontram em outras regiões”, acrescentou.

A maioria das vítimas morreu com tiros (60 por cento) e cerca de 35 por cento não resistiu a explosões. O diretor do hospital militar indicou que perto de cinco por cento das vítimas mortais foram “decapitadas ou degoladas”.

De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), perto de 6.500 soldados e membros das forças de segurança governamentais morreram desde o início da revolta contra o regime do Presidente sírio Bashar al-Assad.

Em termos globais, a organização estima que o conflito provocou até à data mais de 25 mil mortos, a maioria civis.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.