Cerca de 90 pessoas subiram o Pico para assinalar Centenário da República


 

Francisco Cunha   Regional   5 de Set de 2010, 21:13

Decorreu no sábado a "Subida ao Pico Mais Alto da República", uma iniciativa promovida pela Presidência do Governo Regional, através da Direcção Regional da Cultura, integrada nas comemorações do Centenário da República e, ao mesmo tempo, em homenagem a Manuel de Arriaga.

Segundo o Gabinete de Apoio à ComunicaçãoSocial (GACS), cerca de 90 pessoas participaram na excursão, que se iniciou quando os participantes começaram a concentrar-se na Casa da Montanha por volta da meia-noite do Sábado, onde o Director Regional da Cultura, Jorge Bruno, descerrou uma lápide comemorativa, em conjunto com os dois alpinistas, João Garcia e Luís Bettencourt.

Numa breve saudação aos presentes, Jorge Bruno traçou os objectivos da jornada e o seu significado simbólico. Frisou que a placa havia sido ali colocada por razões de ordem ambiental que norteiam a acção do Governo. "Na Montanha do Pico só se deixam as pegadas e de lá só se trazem as fotografias", indicou.

Seguidamente organizaram-se os grupos, com um máximo de 10 pessoas por cada guia. Presenteados com um "belíssimo céu estrelado", os grupos atingiram sem dificuldade a cratera, onde foram lidos versos do livro de Manuel de Arriaga, Canto ao Pico. No final da subida foi hasteada a bandeira nacional no cume da Montanha e tiradas fotografias com a t-shirt oferecida a cada participante.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.