Cerca de 500 agentes do Turismo começam hoje a debater futuro "com enormes expectativas"

Cerca de 500 agentes do Turismo começam hoje a debater futuro "com enormes expectativas"

 

Lusa/AO Online   Economia   3 de Dez de 2015, 07:30

O 41.º Congresso Nacional da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) começa hoje a debater o futuro do Turismo com 500 agentes do setor e o ambiente é de "enormes expectativas", disse o seu presidente.

 

"Teremos, uma vez mais, cerca de 500 pessoas e, desse ponto de vista, é, desde já, uma enorme alegria conseguirmos tão grande adesão. Depois, uma coincidência feliz, o facto da passagem de pasta da Secretaria do Turismo coincidir com o nosso congresso e, nesse sentido, dizermos que a primeira aparição pública da nova secretária de Estado será realizada exatamente na abertura do congresso, o que causa já e cria alguma expectativa adicional", afirmou o presidente da APAVT à Lusa.

A reunião anual promovida pela APAVT vai decorrer de 03 a 06 de dezembro em Albufeira, Algarve, com o tema Partilhar o Futuro.

Do ponto de vista do programa, Pedro Costa Ferreira realça três notas "essenciais sobre a filosofia do mesmo": "Em primeiro lugar, o facto do congresso se realizar no Algarve, o que é uma opção política notória desta direção e que tem a ver com a tentativa de contribuir para a reativação do turismo interno".

Em segundo, o facto de o congresso "estar focado no futuro", até porque "é também uma característica da direção [da associação] não olhar para o passado e não discutir os mesmos temas, mais mesquinhos do dia-a-dia".

Finalmente, o seu caráter eclético: "É um congresso, já como é tradicional, que vai integrar todos, isto é, quem tem uma opinião e quem tem a opinião contrária e, por outro lado, todas as cadeias de valor: as companhias aéreas, a tutela, as agências de viagens, toda a plêiade que está ligada ao turismo terá intervenção no congresso", acrescentou.

Pedro Costa Ferreira explicou que é em conjunto e com "sentimento de partilha" que o setor tentará perceber quais são os principais desafios e como vai superá-los.

No programa contam-se ainda "importantíssimos debates", entre os quais sobre o futuro da TAP, com o presidente da companhia, Fernando Pinto, sobre o próprio turismo de Portugal, com o presidente da entidade que o representa, João Cotrim de Figueiredo, e sobre o Algarve.

Questionado sobre a importância que atribuiu ao debate sobre "Economia Partilhada" e o "encontro também com as novas gerações do turismo português", aquando da apresentação do congresso, o responsável garante que não serão esquecidos.

"Em relação à “Economia Partilhada” temos a noção de que há novos paradigmas, novas tendências no turismo, que são absolutamente inultrapassáveis e que colocam naturalmente desafios aos interesses instalados e ao pensar o turismo como ele até agora tem sido pensado, mas temos também a noção de que não há no setor quem possa desenvolver atividade contra o consumidor", adiantou.

Relativamente à nova geração, Pedro Costa Ferreira diz que "é uma preocupação muito grande" na APAVT.

"Temos a noção de que tivemos nos últimos anos grandes gestores, grandes referências no mercado que se consolidaram e que se mantêm como referências, mas pensamos que devemos ter todos a preocupação da renovação e então o olhar para quem é mais jovem ", afirmou.

Dada esta preocupação, a APAVT reuniu um painel no congresso com uma nova geração que está ligada a vários subsetores, desde agências de viagens e animação turística ao setor hoteleiro.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.