Cerca de 28 mil espanhóis residem ou passam tempo em Portugal

Internacional /
Praia em Valência, Espanha

1374 visualizações   

Cerca de 28 mil espanhóis residem ou passam temporadas em Portugal, embora apenas menos de metade estejam registados nos consulados de Espanha no país, disse à Lusa fonte da embaixada espanhola em Lisboa.
 

 

No consulado de Lisboa, estão inscritos como residentes 8.093 cidadãos e 820 como não residentes, enquanto no Porto, há registo de 3.150 espanhóis residentes e 237 não residentes.

As autoridades espanholas estimam que, na região de Lisboa e do centro e sul do país existam perto de 9.000 nacionais de Espanha que não estão inscritos, mas residem, trabalham ou viajam com frequência a Portugal, e, na zona norte, mais de 6.500 nestas condições.

Segundo o responsável de comunicação da embaixada de Espanha em Lisboa, Ramón Iribarren, a comunidade espanhola em Portugal caracteriza-se por duas realidades distintas.

Por um lado, há um grupo de pessoas, muitas já reformadas, que vieram para Portugal na década de 1950, ou mesmo antes, e que aqui permaneceram.

O outro grupo é constituído por pessoas que estão em Portugal a trabalhar, nomeadamente em empresas espanholas, como consultores, engenheiros, técnicos, advogados.

Esta é uma comunidade que tem chegado a Portugal principalmente na última década e que tem duas características essenciais: “são pessoas mais preparadas”, a nível de formação, e que têm “mais mobilidade” e, portanto, podem deslocar-se pelo país e pela Europa.

Os reis de Espanha, Felipe VI e Letizia, realizam uma visita oficial a Portugal entre segunda e quarta-feira, sendo um dos pontos da agenda uma receção à comunidade espanhola no país, na residência do embaixador, no Palácio da Palhavã, em Lisboa, na quarta-feira.

A visita de Estado, de três dias, dos reis espanhóis passa pelo Porto, Guimarães e Lisboa, sendo os momentos altos o jantar de gala oferecido pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Paço dos Duques de Bragança, na segunda-feira, e a intervenção de Felipe VI na sessão solene na Assembleia da República, na quarta-feira.

Na segunda-feira, os reis deslocam-se à Câmara do Porto e à Fundação Serralves, onde visitam a exposição dos quadros do artista catalão Juan Miró e, à noite, participam no jantar de gala oferecido pelo Presidente em sua honra.

Na terça-feira, a agenda prevê visitas ao Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, ao Instituto de Investigação e Inovação em Saúde e ao Palácio da Bolsa, no Porto. À tarde, os reis serão recebidos na Câmara de Lisboa e, depois, participam num jantar oferecido pelo primeiro-ministro, António Costa, no Palácio das Necessidades, sede do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Na quarta-feira, Felipe VI discursa no parlamento português e, depois, encontra-se com representantes da comunidade espanhola em Portugal. O programa termina com uma visita à Fundação Champalimaud.

Esta é a segunda visita oficial a Portugal de Felipe VI e Letizia, depois de terem estado em Lisboa em julho de 2015 na sua segunda deslocação ao estrangeiro na qualidade de reis de Espanha.

Esta visita de Estado dos reis espanhóis surge a convite do Presidente português, que os visitou em Madrid uma semana depois de ter tomado posse, em março deste ano, no mesmo dia em que foi recebido pelo papa Francisco, no Vaticano.

Felipe VI esteve presente na tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa.

Os dois chefes de Estado encontraram-se pela última vez em setembro em Nova Iorque, na sede das Nações Unidas, onde se encontravam para participar na 71.ª sessão da Assembleia Geral da ONU.