Centro de Artes Contemporâneas finalista em prémio internacional de arquitetura

Centro de Artes Contemporâneas finalista em prémio internacional de arquitetura

 

Lusa/AO online   Regional   13 de Mai de 2016, 18:31

O Centro de Artes Contemporâneas dos Açores representa Portugal na lista finalista ao prémio internacional de arquitetura, lançado pelo Royal Institute of British Architects, anuncia hoje uma nota de imprensa do Governo regional.

 

Segundo a mesma nota, na lista final, que "inclui projetos desde Baku, no Azerbaijão, a Büyükçkmece, na Turquia, ou a Bien Hoa City, no Vietname", com "escolas, museus, centros culturais e igrejas, estão representados projetos oriundos de mais de 20 países, entre os quais será escolhido 'o mais significativo e inspiracional edifício do ano'".

O Arquipélago -- Centro de Artes Contemporâneas é um projeto da Menos é Mais Arquitectos e do atelier de João Mendes Ribeiro.

"Numa primeira fase, serão visitados os 30 projetos selecionados para uma escolha de 20, sendo apurados, após esta seleção, os seis finalistas, de entre os quais sairá o vencedor do concurso, que será anunciado em dezembro de 2016", acrescenta o gabinete de imprensa do Governo dos Açores.

De acordo com a nota, "há 50 anos que o Royal Institute of British Architects tem defendido e celebrado o melhor da arquitetura em todo o mundo, sendo que, há três anos, o faz através do Internacional Prize, para o qual o Arquipélago -- Centro de Artes Contemporâneas está nomeado este ano, em representação de Portugal".

A par desta nomeação, o centro, localizado na Ribeira Grande, ilha de São Miguel, encontra-se, também, entre os 25 finalistas do 9.º Prémio Europeu de Espaço Público Urbano, uma iniciativa do Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona, Espanha.

"Para este prémio, foram avaliadas mais de 270 candidaturas, provenientes de 205 cidades de 33 países, com o objetivo de reconhecer e promover o caráter público dos espaços urbanos e sua capacidade de promover a coesão social", adianta a mesma nota.

Neste galardão, Portugal está representado apenas com o projeto do Arquipélago, sendo que o júri deste prémio internacional tornará público, entre 25 finalistas, o vencedor e as menções honrosas, numa cerimónia que terá lugar no próximo dia 04 de julho.

O Arquipélago -- Centro de Artes Contemporâneas foi inaugurado a 29 de março de 2015. O seu edifício, com uma área útil de seis mil metros quadrados, teve obras de reabilitação, orçadas em 13 milhões de euros, que lhe valeram uma nomeação para o Prémio de Arquitetura Contemporânea da União Europeia Mies van der Rohe 2015.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.