Centro Arquipélago inaugura exposição com curadoria de Mark Durden e David Campbell

Centro Arquipélago inaugura exposição com curadoria de Mark Durden e David Campbell

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Set de 2017, 09:49

O Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas,  inaugura a 15 de setembro a exposição coletiva "O Risível Enigma da Vida Normal", que aborda diferentes formas de comédia através da arte contemporânea.


A mostra, que estará patente até ao final de 2017 no Arquipélago, situado na Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, tem curadoria dos ingleses Mark Durden e David Campbell, membros fundadores do coletivo Common Culture.

Segundo a informação disponibilizada pelo Arquipélago, a exposição junta artistas de diferentes contextos políticos e culturais, que têm em comum o interesse pelo humor como dispositivo que utilizam para animar as suas práticas artísticas e estabelecer ligações com públicos locais e internacionais.

"O Risível Enigma da Vida Normal explora a forma como os artistas refletem sobre a sua experiência da vida quotidiana para fazer luz sobre especificidades culturais num mundo cada vez mais globalizado", adianta o Centro de Artes Contemporâneas.

A exposição explora a importância da comédia no sentido que as pessoas dão às coisas e como uma ajuda para ultrapassar as dificuldades do dia-a-dia.

"As coisas a que achamos piada podem ser cruéis e odiosas, estabelecendo fronteiras simbólicas que dividem as pessoas em grupos distintos, colocando aqueles que têm poder contra os que não têm e vice-versa. Mas a comédia é também uma forma de unir as pessoas: dando-lhes consolo, a sensação de uma vivência partilhada e uma poderosa arma de resistência", explica o Arquipélago.

Comissariada por David Campbell e Mark Durden, a mostra parte da exposição "Double Act", apresentada em dois locais no Reino Unido: o Bluecoat, em Liverpool, e o MAC, em Belfast, em 2016.

Para além de obras do coletivo artístico Common Culture, que junta Campbell, Durden e Ian Brown, a mostra apresenta ainda trabalhos de outros 19 artistas: Bank, Carla Garlaschi, David Sherry, Erica Eyres, Gemma Marmalade, Gillian Wearing, Joachim Schmid, João Paulo Feliciano, John Smith, Kara Hearn, Maurice Doherty, Olav Westphalen, Paul Mccarthy, Peter Finnemore, Pilvi Takala, Richard Hughes, Richard Wentworth, Sarah Lucas e Thomas Geiger.

Campbell, professor de belas artes na Universidade de Northumbria, e Durden, docente de fotografia na Universidade de South Wales, contam com várias exposições, individuais e coletivas, e são autores dos livros “Double Act” (2016) e “Variable Capital” (2007), estando atualmente a trabalhar num exposição, livro e filme sobre arte e celebridade.

"O Risível Enigma da Vida Normal" pode ser vista até 31 de dezembro, de terça a domingo, entre as 10:00 e as 18:00.

A programação de setembro do Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas inclui ainda a apresentação do CD "Anterianas", primeiro trabalho discográfico da soprano Ana Maria Pinto e da pianista Joana Resende, dedicado às figuras de Antero de Quental, Luís de Freitas Branco e Franz Schubert.

Estão também previstas duas residências artísticas: "Na Ausência do Meu Corpo", de Mariana Nabais, que reflete a pesquisa e movimento que a artista desenvolveu nos últimos 20 anos enquanto coreógrafa e bailarina, e "Da Nova Arte de Fazer Ruínas", a cargo da coreógrafa Beatriz Cantinho, em colaboração com o compositor Diogo Alvim e o músico e artista plástico Ricardo Jacinto, inspirada no documentário "Havana - A Nova Arte de Fazer Ruínas", de Florian Borchmeyer e Matthias Hentscheler.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.