Centenas protestam frente à AR contra moção de rejeição

Centenas protestam frente à AR contra moção de rejeição

 

Lusa/AO Online   Nacional   10 de Nov de 2015, 12:35

Centenas de pessoas concentraram-se hoje frente à Assembleia da República em protesto contra a apresentação de uma moção de rejeição, assinada pelos partidos de esquerda, que pretende fazer cair o atual Governo.

Com bandeiras de Portugal e da coligação Portugal à Frente (PàF) em punho, os manifestantes – que se reuniram cerca das 13 horas - cantam o hino nacional e gritam diversas palavras de ordem, entre as quais "Costa para a rua, esta casa não é tua" e "não à moção de rejeição".

Alguns cartazes envergados têm ainda outras inscrições: "Quem ganhou? Democracia não é hipocrisia", "moção de rejeição/traição à população" e "Portugal não merece um Governo do PS".

A ação de protesto, convocada nas redes sociais, foi organizada pelo líder do CDS de Monforte, Mário Gonçalves que, à Lusa, explicou que a ação "não tem qualquer cariz político" e que nasceu de um movimento "voluntário e espontâneo" nas redes sociais.

Segundo Mário Gonçalves, esta manifestação visa dizer "não a uma moção de rejeição injusta para os votantes da coligação PàF que estão a assistir a um verdadeiro golpe de Estado".

Mário Gonçalves adiantou ainda que a ação de protesto irá continuar até às 20:00, e que, durante a tarde, está previsto reunir até 5.000 participantes.

Sandra Fonte, uma das participantes do protesto, mostrou-se indignada com a atitude de António Costa e do PS, sublinhando que "quem ganha as eleições é quem deve governar".

"É assim que funciona em democracia e eu espero que o Presidente da República não indigite António Costa como primeiro-ministro", acrescentou.

Da mesma forma, Rui Ferreira, militante do PSD, disse estar revoltado com toda a situação política nacional, temendo que, caso se concretize um Governo de esquerda, se caminhe para um novo resgate.

Para o mesmo local, às 15:00, está organizada outra manifestação, mas desta vez convocada pela CGTP, à qual já tinham começado a chegar alguns manifestantes cerca de meia hora antes.

No local, encontram-se também vários elementos policiais, nomeadamente da Unidade Especial de Polícia, em mais de uma dezena de carrinhas da PSP.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.