Cem por cento vitorioso e a um ponto do Euro2016

Cem por cento vitorioso e a um ponto do Euro2016

 

Lusa/AO Online   Futebol   21 de Set de 2015, 11:53

Fernando Santos vai cumprir o seu primeiro ano como selecionador português de futebol com um registo 100 por cento vitorioso na fase de qualificação para o Euro2016 e a apenas um ponto do apuramento direto.

 

Desde que o técnico tomou conta da equipa nacional, a 23 de setembro de 2014, Portugal venceu todos os jogos do Grupo I, fez história em particulares frente a Argentina e Itália, mas viveu o seu momento mais negativo com Cabo Verde.

No caminho para o Europeu de França, Fernando Santos pegou na seleção lusa após uma histórica derrota caseira com a Albânia (1-0), que acabou por motivar a despedida de Paulo Bento, e 365 dias depois está um passo de garantir a qualificação direta, bastando o empate com a Dinamarca, em Braga, no início de outubro.

Para trás, ficam triunfos em Copenhaga (1-0), com a Sérvia (2-1), com a Albânia (1-0) e em dois embates com a Arménia (1-0 em casa e 3-2 em Erevan).

Nos particulares, Fernando Santos perdeu logo na estreia em França, por 2-1, e voltou a ‘cair’ perante os gauleses em Alvalade, passado quase um ano, por 1-0. Pelo meio, ficaram triunfos sobre Argentina e Itália, ambos em campo neutro e por 1-0, e um inédito desaire perante Cabo Verde, no Estoril (2-0), num jogo em que apresentou uma equipa praticamente de estreantes.

Este primeiro ano ficou também marcado pelo castigo inicial de oito jogos imposto pela FIFA ao treinador luso, quando ainda liderava a Grécia, mas que acabou reduzido para apenas dois, depois de recurso. Santos falhou apenas a receção à Sérvia e o jogo na Arménia, tendo sido rendido no banco de suplentes pelo seu adjunto Ilídio Vale.

O percurso de Fernando Santos na seleção portuguesa começou a 11 de outubro de 2014, com uma derrota por 2-1 no Stade de France, num particular em que Ricardo Quaresma marcou o único tento luso, aos 77 minutos. Antes, Benzema (três) e Pogba (69) tinham feito os golos gauleses.

Três dias depois, no primeiro jogo a ‘sério’, um golo de Cristiano Ronaldo, aos 90+5 minutos, deu a primeira vitória a Santos e um valioso triunfo no terreno da Dinamarca, à partida o rival mais direito na luta pelo apuramento para o Europeu.

Em novembro, também por 1-0 e igualmente com um tento de Ronaldo, Portugal ultrapassou a Arménia, num jogo disputado no Estádio Algarve e quatro dias depois bateu a Argentina, outra vez por 1-0, num particular realizado em Manchester.

Raphael Guerreiro, nos descontos, fez o seu primeiro golo com a camisola das ‘quinas’ e garantiu a segunda vitória de sempre de Portugal sobre a formação sul-americana, a primeira desde 1972.

Após mais de quatro meses de intervalo, Fernando Santos viu do camarote do Estádio do Luz o triunfo sobre a Sérvia, por 2-1, que na altura deixou Portugal isolado na liderança do Grupo I.

Ricardo Carvalho e Fábio Coentrão, aos 10 e 63 minutos, fizeram os golos da formação lusa, enquanto o ex-benfiquista Matic deu alguma esperança aos sérvios, aos 61.

Dois dias depois, aconteceu o episódio mais negativo da era Fernando Santos, com uma inesperada derrota perante Cabo Verde, por 2-0, num jogo em que Portugal ficou impedido de apresentar os seus habituais titulares, por não cumprir a regra das 48 horas.

Em junho, Portugal alcançou um difícil triunfo em Erevan, perante a Arménia, por 3-2, com um ‘hat-trick’ de Cristiano Ronaldo e num jogo em que Tiago foi expulso. Esse resultado permitiu à seleção lusa consolidar o primeiro lugar do agrupamento e garantir pelo menos um lugar no ‘play-off’ de acesso caso seja necessário.

A temporada 2014/15 terminou com a primeira vitória sobre a Itália em 40 anos e 11 jogos, graças a um golo de Éder, o primeiro do avançado na seleção, em Genebra (1-0).

Mais recentemente, em setembro, Fernando Santos voltou a não conseguir bater a França, desta vez uma derrota por 1-0 em Alvalade, mas três dias depois deixou Portugal a um ponto de reservar um lugar no Europeu do próximo ano, em França.

Em Elbasan, Miguel Veloso regressou à ‘equipa das quinas’ após um ano de ausência e, nos descontos, marcou o golo que deu a vitória a Portugal sobre a Albânia (1-0), que estava imbatível no Grupo I.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.