Açores/Eleições

CDS propõe medidas de apoio à natalidade e reforma antecipada em três anos

CDS propõe medidas de apoio à natalidade e reforma antecipada em três anos

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Out de 2016, 06:06

O líder do CDS-PP/Açores, Artur Lima, disse que o partido vai propor medidas de apoio à natalidade, um prémio a alunos universitários e que os açorianos se reformem três anos mais cedo do que os continentais.

 

Num jantar de apresentação dos candidatos do CDS-PP pelo círculo do Pico, que reuniu na Madalena mais de 200 pessoas, Artur Lima anunciou “uma medida para apoio à natalidade e ao primeiro filho: 1.000 euros para quando nasce um filho”.

O Pico tem cerca de 14 mil habitantes e elege quatro deputados, tendo sido sempre dois do PSD e dois do PS.

Além do incentivo à natalidade, o também cabeça de lista pelo círculo eleitoral da Terceira, disse que o CDS também quer ajudar as famílias com filhos na universidade e propôs “um prémio de mérito de dar 1.000 euros a um aluno que entre na universidade”.

A terceira proposta apresentada por Artur Lima foi uma medida que considerou ser de “inteira justiça”: “queremos que os açorianos se reformem três anos mais cedo do que os continentais. Estudámos o assunto, os dados são científicos, um açoriano vive menos três anos e quatro meses do que um continental”.

"Esta medida não prejudica ninguém porque descontei o mesmo que um continental [mas ele] vive até aos 80 e eu até aos 77. É uma medida equitativa e de inteira justiça, não tiramos nada a ninguém”, justificou.

Já o cabeça de lista pelo Pico, Daniel Rosa, disse que aceitou o convite do CDS para concorrer a um lugar de deputado no parlamento regional para defender a sua terra.

Daniel Rosa foi líder da associação de empresários locais durante 16 anos e disse que apenas lhe interessa “a sua ilha”.

“Irei tentar resolver os problemas, serei uma pessoa ao vosso serviço”, afirmou.

Entre várias propostas, defende a construção de um novo centro de saúde nas Lajes do Pico e o funcionamento dos serviços de urgência em São Roque e nas Lajes.

O candidato, de 50 anos, natural do Pico, concorre pela primeira vez às eleições regionais.

No passado, Daniel Rosa foi militante do PSD, vereador na Câmara Municipal da Madalena (na ilha do Pico) e secretário na Junta de Freguesia de Santa Luzia, a sua terra natal.

Lembrando os 20 anos de governo socialista no arquipélago, afirmou: “Vive-se medo, vi pessoas que por dizerem que votavam no Daniel Rosa foram chamados ao chefe de serviço, não se deixem amedrontar por este tipo de atitude”.

Nas últimas eleições realizadas em 2012, o Pico ficou a cerca de 600 votos de eleger um deputado e este ano a campanha arrancou com a presença da líder nacional, Assunção Cristas, na ilha.

Numa caravana resumida a duas carrinhas de apoiantes, o candidato e a líder nacional foram reconhecidos pelos habitantes locais.

Assunção Cristas e o candidato reuniram-se com a associação de armadores e com agricultores e a presidente do partido ouviu elogios à sua atuação como ministra da Agricultura do anterior Governo PSD/CDS.

Concorrem pelo Pico às eleições de 16 de outubro 11 partidos.

No total, treze forças políticas apresentam-se a votos, mas nem todas concorrem nos dez círculos eleitorais. Apenas aos círculos de São Miguel, que elege 20 deputados, e de compensação, que elege cinco, concorrem todas.

Na Assembleia Legislativa Regional, o PS tem 31 dos 57 lugares, enquanto o PSD 20. O CDS-PP conquistou três deputados em 2012, e BE, PCP e PPM têm um mandato cada.

Para a votação de dia 16 estão inscritos cerca de 228 mil eleitores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.