CDS/PP defende novo ciclo de relacionamento com os Açores

CDS/PP defende novo ciclo de relacionamento com os Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Mar de 2015, 11:51

O líder do CDS/PP na Madeira e candidato às eleições regionais de 29 de março defendeu hoje um novo ciclo de relacionamento com os Açores e lamentou que os dois arquipélagos tenham estado de "costas voltadas".

“Tenho de lamentar que a Madeira e os Açores tenham estado nos últimos anos de costas voltadas, apesar de terem interesses comuns muito fortes a defender quer junto do Estado, quer junto da União Europeia”, afirmou José Manuel Rodrigues, após uma audiência com o presidente do Governo Regional dos Açores, em Ponta Delgada.

O candidato às eleições legislativas antecipadas da Madeira considerou que é possível iniciar “um novo ciclo de relacionamento” entre as duas regiões autónomas portuguesas, com “relações bilaterais mais fortes”, aumentando as trocas comerciais e os intercâmbios social, cultural e científico, particularmente por via das duas universidades.

Vincando que estão em causa “economias e sociedades de complementaridade e não de rivalidade”, José Manuel Rodrigues defendeu a melhoria dos transportes aéreos e marítimos entre a Madeira e os Açores, reiterando que seria bom a Madeira vir a participar no capital social da companhia aérea açoriana SATA.

“Já há alguns anos que o CDS da Madeira defende que a região deveria participar no capital da SATA. Infelizmente, na situação dificílima da Madeira, do ponto de vista financeiro, julgo que nos próximos tempos não haverá essa capacidade”, afirmou o líder do CDS/PP na Madeira, acrescentando que “a SATA poderia ser a companhia de transporte quer dos Açores, quer da Madeira”.

No Palácio de Santana, sede do Governo Regional dos Açores, José Manuel Rodrigues saudou o presidente do executivo açoriano por ter sido possível baixar nos Açores a carga fiscal, lamentando que tal não seja para já possível na Madeira, devido ao plano de ajustamento em curso.

Para o socialista Vasco Cordeiro, as duas regiões autónomas “não estão de costas voltadas”.

Vasco Cordeiro considerou que “uma maior visibilidade quanto a aspetos dessa cooperação e concertação de posições não é algo que se deva rejeitar ou excluir”, como aliás já havia referido quando recebeu o líder do PS/Madeira e candidato às eleições regionais no início de março.

“Naturalmente que aguardamos que concluído este processo eleitoral possamos, no fundo, passar à fase seguinte deste processo”, afirmou, Vasco Cordeiro, acrescentando que do ponto de vista institucional, e nesta fase da vida democrática e política da Madeira, é isso que se espera que o Governo dos Açores faça.

O presidente do Governo Regional dos Açores disse, ainda, que “até ao momento” não recebeu nenhum pedido de audiência por parte do PSD/Madeira, mas assegurou que “as portas do Palácio de Santana estão sempre abertas”.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.