CDS-PP compromete-se a fazer oposição crítica e construtiva

CDS-PP compromete-se a fazer oposição crítica e construtiva

 

LUSA/AO online   Regional   31 de Out de 2016, 18:29

O líder do CDS-PP/Açores, Artur Lima, comprometeu-se hoje a fazer uma oposição crítica e construtiva na Assembleia Legislativa Regional na próxima legislatura e lamentou que o PS tenha alcançado novamente uma maioria absoluta

"O CDS-PP vai ter a postura que os açorianos apreciam. Vai dar valor aos Açores e vai dar valor ao voto de cada um dos açorianos. Faremos uma oposição crítica, mas construtiva”, disse Artur Lima aos jornalistas, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, após a audição com o Representante da República para a Região Autónoma, Pedro Catarino.

De acordo com o Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma dos Açores, cabe ao Representante da República nomear o presidente do Governo Regional "tendo em conta os resultados das eleições", mas só depois de ouvir os partidos políticos representados no parlamento.

O PS venceu as eleições legislativas regionais com maioria absoluta no dia 16 de outubro, tendo eleito 30 deputados. O PSD conquistou 20 mandatos, o CDS-PP quatro, o BE dois, enquanto CDU e PPM um cada.

Segundo Artur Lima, que foi reeleito para um terceiro mandato na Assembleia Legislativa, o povo “manifestou-se claramente” e o PS tem condições para formar Governo, mas teria sido mais benéfico para a região se os socialistas não tivessem alcançado maioria absoluta.

“Não foi o resultado que o CDS queria. Nós achávamos mais positivo para os Açores que não houvesse uma maioria absoluta. Teríamos um Governo mais produtivo. Vamos ter um Governo habituado e bem instalado”, considerou.

O CDS e o BE aumentaram a sua representação parlamentar, enquanto PS e PSD viram o número de deputados reduzido, o que segundo Artur Lima provocou um cenário inédito na autonomia açoriana.

“Neste parlamento há um fenómeno muito curioso pela primeira vez na autonomia. O PSD deixa de ser o principal partido da oposição. Nós já não precisamos do PSD para fazer dois terços, para rever qualquer lei em que seja necessária uma maioria qualificada”, apontou.

O CDS assume a área da saúde como prioritária neste mandato, destacando a necessidade de humanizar os cuidados prestados e de revogar “a autoridade imposta pelo anterior executivo”, por exemplo, nos apoios aos doentes deslocados.

O Representante da República para a Região Autónoma dos Açores vai ouvir até quarta-feira os seis partidos com representação parlamentar na Assembleia Legislativa, nomeando depois o presidente do Governo Regional e os membros do executivo, por proposta do presidente.

Os 57 deputados regionais tomam posse na Assembleia Legislativa da Região na Horta, ilha do Faial, na quinta-feira e o Governo Regional no dia seguinte.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.