CDS-PP/Açores quer que Governo Regional impeça SATA de cancelar voo direto Terceira-Porto

CDS-PP/Açores quer que Governo Regional impeça SATA de cancelar voo direto Terceira-Porto

 

Lusa/AO online   Regional   20 de Jul de 2017, 18:51

O CDS-PP apresentou na Assembleia Legislativa dos Açores um projeto de resolução que recomenda ao Governo Regional que dê orientações à companhia aérea SATA para manter uma ligação semanal direta entre a ilha Terceira e o Porto.


"A Terceira não admite que a SATA brinque connosco. Esta rota resulta de uma proposta feita e aprovada no Parlamento, para que se realizasse todo o ano e com duas ligações por semana no verão. Que eu saiba esta resolução da Assembleia ainda está em vigor pelo que a SATA e o Governo Regional vão ter que explicar porque desrespeitam uma resolução da Assembleia Regional", salientou o líder regional centrista, Artur Lima, na quarta-feira, em declarações aos jornalistas, em que anunciou a entrega desta iniciativa legislativa.

A companhia aérea açoriana, cujo único acionista é o Governo Regional, decidiu deixar de efetuar a única ligação semanal direta entre a Terceira e o Porto no próximo inverno.

"Os índices de ocupação desta rota são muito baixos e a SATA teve de tomar uma opção", adiantou, em declarações à Lusa, o porta-voz da companhia aérea, António Portugal.

Para o CDS-PP, a decisão é "incompreensível e merece da parte das entidades representativas dos setores económicos, mas não só, o maior repúdio e condenação".

O líder regional centrista acusou a SATA de "desonestidade", ao dizer que as taxas de ocupação do voo são baixas, tendo em conta que inicialmente a operação era efetuada com um avião com capacidade para 160 passageiros e atualmente é utilizado um com capacidade para 222 passageiros.

Segundo Artur Lima, em setembro de 2012 foi aprovado por unanimidade no Parlamento açoriano um projeto de resolução, apresentado pelo CDS-PP, que "recomendava ao Governo Regional que, na sua qualidade de único acionista do grupo SATA, adotasse as diligências de sua competência para que a SATA Internacional reforçasse as suas ligações na rota Terceira-Porto-Terceira, nomeadamente com a realização de dois voos, de ida e volta, diretos, no verão IATA, e um voo semanal, de ida e volta, direto, no inverno IATA".

A proposta centrista que deu hoje entrada na Assembleia Legislativa recomenda ao executivo açoriano que impeça a concretização da decisão da SATA e que dê cumprimento à resolução aprovada em 2012, salientando que ainda não foi revogada.

O CDS-PP entregou também hoje um requerimento a questionar o Governo Regional sobre as taxas de ocupação de todas as rotas da SATA.

"Se a decisão de acabar com rotas prende-se com taxas de ocupação que variam entre 40 e 60%, então a SATA tem que se preparar para começar a parar os seus aviões. Qual é a taxa de ocupação da SATA nos voos que faz para Barcelona e para Cabo Verde?", questionou Artur Lima.

O CDS-PP e o PSD já tinham questionado o Governo Regional, por requerimento, sobre as razões na origem do cancelamento desta rota.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.