CDS/PP Açores lamenta manutenção de "problemas e bloqueios" na Base das Lajes

CDS/PP Açores lamenta manutenção de "problemas e bloqueios" na Base das Lajes

 

Lusa/AO Online   Regional   28 de Jul de 2016, 17:06

O CDS/PP nos Açores lamentou hoje que o protocolo assinado entre os Governos da República e da Região não resolva de imediato "problemas e bloqueios" quanto à operação civil e comercial na Base das Lajes, ilha Terceira.

 

“O que os senhores ministros e secretários de Estado deviam ter vindo fazer aos Açores era comunicar a resolução de um conjunto de problemas que ainda hoje subsistem, e vão continuar a verificar-se, e que podem ser resolvidos já, não daqui a dois anos”, afirmou o presidente do partido nos Açores e líder parlamentar, Artur Lima, citado num comunicado do partido.

O Governo Regional dos Açores e o Governo da República assinaram na quarta-feira, na ilha Terceira, um protocolo, comprometendo-se a concluir no prazo de dois anos o processo de certificação da Base das Lajes para a utilização permanente pela aviação civil.

O início do processo de certificação da Base das Lajes tinha sido anunciado, em finais de abril, numa declaração conjunta dos dois governos, no final de uma visita do primeiro-ministro, António Costa, aos Açores.

Para Artur Lima, o que os membros do Governo da República deviam ter vindo fazer aos Açores era anunciar que tinham dado instruções à Força Aérea Portuguesa e Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) para que “fossem imediatamente desbloqueados os processos de certificação dos anemómetros instalados nas Lajes”.

Segundo disse o deputado centrista, deveriam, ainda, ter vindo anunciar a desburocratização “tendo em vista a facilitação da utilização daquele aeroporto para escalas técnicas e a certificação dos bombeiros para garantir, sem sobressaltos, a operação de aviões de longo curso na Terceira”.

“A operação civil nas Lajes faz-se há mais de 40 anos de forma permanente e ininterrupta, sem quaisquer protocolos assinados entre Governos. O que faz falta é agilizar procedimentos, desburocratizar processos, certificar instrumentos e instalações e, para isso, não são precisos protocolos. Só é precisa ação e vontade política”, referiu Artur Lima, lamentando que o Governo da República tenha vindo “dar uma mãozinha à campanha eleitoral do PS/Açores”.

Artur Lima apelou para que “não façam campanha com assuntos desta grandeza económica e social”, exerçam as respetivas competências e poderes e deem instruções a quem de direito “para resolver já os constrangimentos que subsistem na operação civil no Aeroporto da ilha Terceira”.

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.