CDS-PP/Açores acusa SATA de não cumprir serviço público nas viagens inter-ilhas

CDS-PP/Açores acusa SATA de não cumprir serviço público nas viagens inter-ilhas

 

Lusa/AO Online   Regional   22 de Jul de 2015, 14:47

O líder do CDS-PP/Açores acusou a companhia aérea açoriana SATA de não cumprir a sua função de serviço público nas ligações entre as ilhas, apesar de receber "milhões de euros" do Governo Regional.

 

"A SATA está a falhar naquela que é a sua principal missão, que é serviço público na Região Autónoma dos Açores, pela qual vai receber para os próximos cinco anos 135 milhões, são 27 milhões de euros por ano", frisou o líder regional centrista, Artur Lima, numa conferência de imprensa, junto à aerogare das Lajes, na ilha Terceira.

Segundo o líder do CDS-PP/Açores, apesar do valor transferido para a companhia aérea, os voos inter-ilhas estão lotados nos próximos dias em várias rotas.

"É mais fácil encontrar uma agulha num palheiro do que um lugar na SATA na rota Terceira-Ponta Delgada/Ponta Delgada-Terceira. O mesmo se diga na rota São Jorge-Terceira/Terceira-São Jorge. O mesmo se diga para o Pico", salientou.

Para Artur Lima, a responsabilidade é do conselho de administração, "mas sobretudo da negligência do Governo, que não consegue dar orientações claras".

O presidente do Governo Regional anunciou, na terça-feira, na ilha das Flores, que a SATA iria disponibilizar mais 6.400 lugares e reforçar a capacidade de transporte de carga em 96 toneladas, nos voos dentro dos Açores, entre o final de julho e o final de agosto.

No entanto, o líder centrista desvalorizou o anúncio, acusando o executivo de trabalhar "por reação" e de não ter "tudo programado".

"Essa medida do senhor presidente do Governo não me parece que resolva minimamente o assunto. Ficamos à espera que o Governo tome medidas de fundo", frisou.

Para o líder centrista, é possível aumentar a "rentabilidade" das aeronaves e das tripulações, que só têm "em média duas horas de voo por dia", para aumentar o número de voos.

"Estacionaram um avião aqui na Terceira, mas a tripulação não fica cá. Há dias em que a tripulação só chega aqui por volta das 11:00 e o avião já perdeu três horas úteis de trabalho", salientou.

Artur Lima considerou ainda que as tarifas praticadas inter-ilhas são "escandalosamente caras", propondo uma tarifa única nas ligações entre as ilhas, com exceção das Flores e do Corvo, mas sem avançar com um valor.

Já o PSD/Açores considerou que a decisão anunciada pelo executivo açoriano "peca por tardia", alegando que "deve servir de exemplo na preparação das operações para o próximo inverno assim como para a época alta do próximo ano".

"Por causa do governo regional, centenas de açorianos têm sido impedidos de se deslocar na sua região. É, apenas, mais um dos muitos exemplos da impreparação que hoje norteia a atuação dos governantes regionais, sempre preocupados com a propaganda e distraídos quando se trata de resolver os problemas dos açorianos", acusaram os social-democratas num comunicado de imprensa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.