CDS diz que Parlamento desrespeitou vontade dos portugueses


 

Lusa / AO online   Nacional   8 de Jan de 2010, 14:42

O deputado do CDS-PP Telmo Correia disse esta sexta-feira que a Assembleia da República “desrespeitou a vontade dos portugueses” de se pronunciarem num referendo sobre o casamento entre homossexuais, o que considerou “um mau sinal”.
No final da votação dos diplomas sobre casamento entre pessoas do mesmo sexo, o deputado centrista considerou que o Parlamento, ao reprovar a iniciativa popular de referendo, demonstrou um “sinal claro de arrogância” e não teve “respeito nem consideração” por esta iniciativa, que reuniu mais de 90 mil assinaturas, mas deveria ter tido “a humildade” de verificar “a possibilidade de existir no país uma maioria diferente daquela que existe na Assembleia”.

Telmo Correia referiu ainda que ficou por esclarecer a questão da constitucionalidade da proposta de lei do Governo, referindo que este diploma “cria uma nova discriminação”, ao instituir “dois tipos de casamento: um em que há possibilidade de candidatura à adopção, outro em que é completamente vedada”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.