CDS/Açores nega "contradição" no caso das ajudas por causa do mau tempo de 2013


 

Lusa/AO online   Regional   10 de Out de 2014, 17:36

O vice-presidente do CDS-PP/Açores, Félix Rodrigues, negou haver "contradições" entre o sentido de voto do partido na região e na República no caso do pedido de ajuda extraordinária às ilhas por causa do mau tempo de 2013.

 

Em declarações à Lusa, Félix Rodrigues lembrou que o grupo parlamentar do CDS na Assembleia da República é "autónomo" e que o partido foi "solidário" com a posição do PSD, com quem está coligado no Governo nacional.

"Ora, neste contexto, o PSD tem o seu entendimento, e como parceiros que somos, em termos de coligação da República, cumprimos com aquilo que é normal em coligações", acrescentou Félix Rodrigues.

A maioria PSD/CDS na Assembleia da República chumbou hoje um diploma do parlamento dos Açores, aprovado por unanimidade na assembleia regional, que pedia ajuda extraordinária à região por causa dos 35 milhões de euros de prejuízos causados pelo mau tempo de março do ano passado.

A proposta pedia que fossem concedidos à região apoios de 30 milhões de euros através da reprogramação de fundos europeus do quadro comunitário que terminou em dezembro de 2013.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.