Cavaco Silva, Assunção Esteves e António Simões discursam na transladação de Eusébio

Cavaco Silva, Assunção Esteves e António Simões discursam na transladação de Eusébio

 

Lusa/AO Online   Nacional   8 de Mai de 2015, 18:47

O Presidente da República, a presidente da Assembleia da República (AR), Assunção Esteves, e o antigo jogador do Benfica e da seleção nacional António Simões vão discursar na cerimónia de transladação de Eusébio para o Panteão Nacional.

Uma nota do gabinete de Assunção Esteves refere que “a cerimónia no Panteão Nacional está prevista para as 19:00 [de 3 de julho], durante a qual usarão da palavra o Presidente da República [Aníbal Cavaco Silva], a presidente da Assembleia da República e António Simões, que fará o elogio de Eusébio”.

A transladação dos restos mortais de Eusébio da Silva Ferreira para o Panteão Nacional está marcada para dia 03 de julho, como anunciou a presidente da AR na última quarta-feira.

O protocolo inicia-se pelas 15:00, no cemitério do Lumiar, em Lisboa, onde decorrerá uma cerimónia restrita para a família, à qual se segue uma missa no Seminário da Luz, celebrada pelo padre Delmar.

Após a missa, será formado um cortejo, cujo trajeto passa pelo Estádio da Luz, pela Federação Portuguesa de Futebol e pelo parlamento, terminando no Panteão Nacional.

Depois dos discursos do chefe de Estado, de Assunção Esteves e do antigo colega de Eusébio no Benfica e na seleção nacional de futebol, está prevista a interpretação do hino nacional por Dulce Pontes e um momento musical por Rui Veloso. Durante toda a cerimónia serão exibidas imagens do antigo jogador de futebol.

Nas cerimónias da transladação do atleta conhecido como “Pantera Negra” para o Panteão Nacional inclui-se ainda a exposição “Portugal Eusébio”, que será inaugurada a 25 de junho no átrio principal da AR, a exibição do documentário “Eusébio – a história de uma lenda” na escadaria principal do Palácio de São Bento na noite de 02 de julho e o lançamento do envelope do Dia da Transladação e dos selos de Eusébio, por parte dos CTT, a 03 de julho.

O programa da cerimónia foi acordado com a família do jogador, representantes da Federação Portuguesa de Futebol, do Sport Lisboa e Benfica, da Câmara Municipal de Lisboa, bem como do protocolo de Estado e do Panteão Nacional.

Eusébio da Silva Ferreira, para muitos o melhor futebolista português de sempre, morreu na madrugada de 05 de janeiro de 2014, aos 71 anos, vítima de paragem cardiorrespiratória.

Também carinhosamente tratado por ‘King’, ganhou em 1965 a Bola de Ouro, que então distinguia o melhor futebolista europeu a jogar na Europa, e conquistou duas vezes a Bota de Ouro (1967/68 e 1972/73), prémio para o melhor marcador dos campeonatos nacionais europeus.

No Mundial de 1966, disputado em Inglaterra, foi um dos mais destacados jogadores da competição e o melhor marcador, contribuindo com nove golos para o terceiro lugar de Portugal.

O projeto de resolução para conceder honras de Panteão a Eusébio da Silva Ferreira foi aprovado a 20 de fevereiro, no parlamento, por todos os grupos parlamentares.

A poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen foi a última personalidade portuguesa a merecer honras de Panteão Nacional por proposta de PSD e PS que obteve unanimidade em fevereiro de 2014, tendo a cerimónia decorrido igualmente em julho, também pelas 19 horas.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.