Cavaco espera que êxito da presidência da UE se reflicta no país

Cavaco espera que êxito da presidência da UE se reflicta no país

 

Lusa/AO online   Nacional   19 de Dez de 2007, 16:59

O Presidente da República, Cavaco Silva, espera que o Governo utilize o "indiscutível sucesso" da presidência portuguesa da União Europeia (UE) como "um tónico para eventuais dificuldades" durante o ano de 2008.
     Cavaco Silva recebeu hoje, ao fim da tarde, os cumprimentos de Boas Festas do Governo liderado por José Sócrates, no Palácio de Belém, numa cerimónia em que garantiu sentir uma "renovada esperança num país melhor".

    Para o Chefe do Estado, a presidência europeia, exercida por Portugal de Junho a Dezembro, foi um "indiscutível sucesso" que deve servir de inspiração para o próximo ano.

    "Este sucesso espero que funcione como um tónico para eventuais dificuldades que possam surgir no ano de 2008", afirmou o Presidente a José Sócrates e aos ministros, reunidos na Sala dos Embaixadores do Palácio de Belém.

    Cavaco Silva afirmou que os cumprimentos de Boas Festas não devem ser um "simples ritual" e prometeu que esse clima de entendimento será para todo o ano e não só para o Natal.

    O Natal é um "tempo de encontro", com "uma simbologia que deve estar presente nas relações entre o Governo e o Presidente da República", argumentou.

    E no futuro, "o Governo sabe bem que não é apenas no Natal que encontra na Presidência da República as portas abertas e um espírito de construtivo".

    "A cooperação institucional e o trabalho em comum para realizar os grandes objectivos nacionais são para mim tarefas de todos os dias", disse.

    O ano de 2007, descreveu, foi "um ano em que a cooperação entre os órgãos de soberania funcionou sem sobressaltos e em que a estabilidade política foi uma realidade".

    "São indicadores positivos para o clima de confiança que queremos para o nosso país", afirmou.

    Cavaco Silva terminou o seu breve discurso com votos de Bom Natal a todos os membros do Governo, dizendo-se convicto de que "as alegrias dos membros do Governo extravasam para os portugueses".

    Antes de Cavaco Silva falar, José Sócrates desejou bom Natal e próspero ano de 2008 ao Presidente e à família, cumprindo "uma das mais lindas tradições da vida política portuguesa".

    No final de um ano político "marcado pelo exercício da presidência portuguesa da União Europeia", o chefe do executivo confessou que foram meses "muito exigentes" para os Governo.

    Depois de, em 2006, ter elogiado o "comportamento absolutamente impecável" do Presidente na sua relação com o Governo, o que "tem ajudado muito" o executivo, este ano José Sócrates agradeceu a Cavaco Silva "toda a colaboração, empenho e toda a ajuda" para que o Governo "pudesse desempenhar bem esta presidência" da união.

    O primeiro-ministro confessou que o executivo fez "o seu melhor" para "aproveitar a presidência dos 27 para projectar o prestígio internacional do país".

    À cerimónia e Boas Festas do Governo ao Presidente da República no Palácio de Belém faltaram apenas três ministros - Finanças, Ambiente e Agricultura - representados por secretários de Estado.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.