Lei do tabaco

Casinos temem quebra de receitas


 

Lusa/AOonline   Economia   22 de Dez de 2007, 10:40

O presidente da sociedade Estoril Sol, que gere os casinos do Estoril, Lisboa e Póvoa, prevê que a criação de zonas livres de fumo vai provocar uma quebra de receita, dado que 80 por cento dos jogadores são fumadores.
O presidente da Sociedade Estoril Sol e da Associação Portuguesa de Casinos, Mário Assis Ferreira, disse que apesar da nova Lei do Tabaco, que vai entrar em vigor no primeiro dia do próximo ano, não se aplicar aos casinos, foram tomadas medidas para proteger os não fumadores.

    Assis Ferreira explicou que apesar da lei não contemplar os casinos, a Lei do Jogo estabelece que “sempre que possível” deve haver locais para não fumadores.

    Apesar da permeabilidade da Lei do Jogo, o presidente do Conselho de Administração da Estoril Sol frisou que foram tomadas medidas nos vários casinos para a criação de áreas protegidas de forma a coincidir com a entrada em vigor da nova lei do tabaco.

    “Interpretámos muito seriamente este problema (da interdição de fumar) e resolvemos assumir um compromisso que é social e cívico, aplicando tudo aquilo que a lei do jogo recomenda”, disse.

    O objectivo é “defender os não fumantes sem punir os fumantes”, esclareceu, contudo.

    Assim, e atendendo que os casinos são na sua maioria constituídos por grandes áreas sem divisórias foram criadas, na grande generalidade dos casos, zonas para não fumadores.

    “Todos os espaços comuns dos casinos vão ficar com zonas muito generosas para não fumadores”, garantiu.

    Além destas áreas, foram ainda instalados sistemas “do mais avançado que existe” para extracção de fumo.

    Nos casinos de Lisboa e do Estoril foram entretanto instalados sistema de purificação e aromatização do ar, referiu Assis Ferreira, adiantando que os restantes casinos do país estão também a tomar medidas no sentido de proteger os não fumadores.

    Nos casinos, em todos os locais de uso exclusivo do pessoal será proibido fumar, esclareceu o presidente da Sociedade Estoril Sol, escusando-se para já a adiantar o montante gasto em todas as alterações.

    Assis Ferreira garantiu também que vai pedir certificações da qualidade do ar.

    “Vamos cumprir a letra e o espírito da Lei do Jogo (…) com o cuidado de não quebrar as receitas”, frisou.

    Mesmo assim, a Sociedade Estoril Sol está crente que vai haver quebras de receitas, dado que 80 por cento dos jogadores são fumadores.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.