Casal tentou suicidar-se no Taj Mahal após ter sido impedido de se casar


 

Lusa   Internacional   16 de Jul de 2015, 14:55

Um casal de indianos, proibidos de se casarem por pertencerem a religiões diferentes, tentou suicidar-se cortando a garganta no Taj Mahal, monumento que é um símbolo de amor na Índia.

Os dois foram descobertos numa poça de sangue no interior do monumento, na quarta-feira à tarde, e agora se encontram numa situação estável, de acordo com a polícia.

"Um casal, um hindu e uma muçulmana, tentou suicidar-se no Taj Mahal", referiu o responsável da polícia de Agra, Aseem Chaudhary.

"A jovem cortou a garganta e o rapaz fez o mesmo a seguir a ela", acrescentou

O casamento entre castas ou inter-religiosos é ainda raro em várias regiões da Índia e os casos de "crime de honra", cometidos pelas famílias para defender a sua dignidade, ainda são frequentes.

Citado pelo jornal Times of India, Rajveer Singh,o jovem que se tentou suicidar, disse que ele e a noiva, Shabnam, tentaram "por todos os meios convencer" as respetivas famílias a permitirem o casamento, mas, "as barreiras religiosas ainda são um obstáculo enorme", lamentou.

"Nós decidimos (suicidar-nos) depois de não conseguirmos encontrar outro meio de estarmos juntos", acrescentou.

O Taj Mahal foi construído pelo imperador mongol Shah Jahan para enterrar a sua mulher Mumtaz Mahal, morta durante o parto em 1631.

O monumento é um dos mais conhecidos e visitados na Índia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.