Carlos Mendonça quer aproveitar fundos comunitários

Carlos Mendonça quer aproveitar fundos comunitários

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   6 de Abr de 2017, 11:58

O presidente da Câmara do Nordeste e recandidato pelo PS nas eleições autárquicas, Carlos Mendonça, disse que quer "aproveitar fundos comunitários" para concretizar projetos prioritários para o concelho açoriano, depois de ter "arrumado a casa" no primeiro mandato.

"Este primeiro período inicial passou por perceber o que estava bem e o que estava mal e necessitava de correções na gestão desta casa", afirmou à agência Lusa Carlos Mendonça, adiantando que o passo seguinte foi "definir aquilo que são as verdadeiras prioridades" para o concelho.

Neste trabalho, o candidato apontou a necessidade de "aproveitar os fundos comunitários".

"Estamos neste momento com projetos, quer no âmbito do saneamento básico e, também, ao nível da beneficiação da qualidade de transporte e de armazenamento de água para as populações. Esses são os dois maiores projetos que temos neste momento, que já estão a decorrer e que queremos ver finalizados no próximo mandato", informou.

Carlos Mendonça referiu que numa fase inicial a prioridade foi "arrumar a casa", explicando que quando foi eleito em 2013 houve a necessidade de melhorar o município "financeiramente e a nível de gestão", fatores que permitiram recuperar a confiança junto da banca e de empresas fornecedoras.

"Estamos a falar no passado de incumprimentos constantes com a banca, prazos médios de pagamento aos nossos fornecedores com mais de cinco anos. Agora estamos com um prazo médio de pagamento, segundo a Direção-geral das Autarquias Locais, de apenas cinco dias. E conseguir reduzir uma dívida de seis milhões de euros em três anos é obra", considerou.

Segundo o autarca socialista, o executivo que lidera conseguiu cumprir em "cerca de 82%" o que constava no manifesto eleitoral e que representava "o compromisso assumido" com os munícipes.

"É injusto comparar 24 anos do mesmo executivo do passado com aquilo que são três anos de obra e trabalho deste executivo", declarou o candidato, pedindo aos eleitores para refletirem sobre o trabalho desenvolvido nas nove freguesias.

O cabeça de lista, de 42 anos, fisioterapeuta de profissão, foi deputado socialista no parlamento regional antes de ter assumido a presidência do município da ilha de São Miguel.

Apesar de "não colocar a hipótese" de perder as eleições de 01 de outubro, assegura que voltará à fisioterapia com "todo o gosto".

"Eu sei de onde é que eu vim e para onde vou. Se eu não vencer as eleições, tenho um trabalho de que me orgulho muito", adiantou, manifestando convicção numa reeleição.

Nas últimas eleições autárquicas, o PS conquistou três mandatos no município, enquanto o PSD elegeu dois vereadores.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.