Cardeal-patriarca apresenta exortação apostólica no domingo na Casa do Gaiato

Cardeal-patriarca apresenta exortação apostólica no domingo na Casa do Gaiato

 

Lusa/AO Online   Nacional   3 de Mai de 2016, 09:11

O cardeal-patriarca de Lisboa Manuel Clemente, apresenta no próximo domingo, a exortação apostólica "A alegria do amor" e as catequeses do papa Francisco sobre a família, "A família gera o mundo", anunciou a Paulus Editora.

 

A apresentação, às 15:30, decorre na Casa do Gaiato em São Julião do Tojal, no concelho de Loures, nos arredores de Lisboa, no âmbito da Festa da Vida e da Família, organizada pela Pastoral Familiar, do Patriarcado.

O encontro, segundo a mesma fonte, começa às 10:30 com a oração da manhã, seguindo-se "workshops", espaço de oração, atividades para crianças e jovens, "geocaching", jogos tradicionais e visitas à quinta pedagógica.

A partir das 14:00, há "animação musical e testemunhos", encerrando a festa com a celebração da eucaristia, presidida por Manuel Clemente, às 16:30. Na eucaristia serão também celebradas bodas matrimoniais, isto é, os casais que pretendem renovar os votos do casamento, estando casado há, 10, 25, 50 ou mais anos.

A inscrição dos casais está disponível em www.familia.patriarcado-lisboa.pt.

"A alegria do amor" é a segunda exortação apostólica do papa Francisco, um documento que congrega as conclusões dos Sínodos da Família, realizados em Roma, nos outonos de 2014 e 2015, bem como "o pensamento do Papa Francisco e da Igreja sobre todas as questões relacionadas com este tema", lê-se no comunicado da editora católica.

No dia 08 de abril, quando a exortação foi tornada pública pelo pontífice, o cardeal-patriarca falou aos jornalistas sobre o documento, e realçou que o tema central "é a família, no sentido cristão", à qual o papa se refere de forma alargada como "a grande escola".

Na ocasião, Manuel Clemente afirmou que a exortação "vai exigir muita aplicação pastoral" e salientou que "o papa não quer adiantar novidades".

Na exortação "há uma lógica de integração [na Igreja] de todos os que são batizados", mas referiu que "as problemáticas relacionadas com os divorciados ou recasados, e até a atitude com as pessoas com tendências homossexuais, não foram nem de perto, nem de longe, as que ocuparam a maior parte da reflexão sinodal", e isso reflete-se no documento pontifical, disse o eclesiástico.

"Visto no seu todo, este documento do papa, o que nos diz, em primeiro lugar, [é] a verificação e a insistência, na centralidade da família na sociedade em geral, como a base de vinculação de uma sociedade que o seja; de um mundo acompanhado", afirmou o prelado lisboeta.

"Depois, dentro de uma tradição católica e bíblica, que é a do papa, salientar que o batismo nos põe numa comunidade de batizados, que nós somos, embora a vida sacramental, essa sim possa ser interrompida", nomeadamente "no vínculo matrimonial", o que "não significa que a pessoa fique fora da Igreja como batizada que é, tem lá pertença e cidadania completa", realçou.

As catequeses do papa Francisco sobre a família foram proferidas no ano passado, ao longo do terceiro ano de pontificado, e estão condensadas no livro "A família gera o mundo", que foi "escrito de uma forma dinâmica e atraente, é um ótimo subsídio para se conhecer melhor o pensamento de Francisco sobre a família", afirma a editora portuguesa.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.