Capturas de pescado sobem 7,3% para 5.821 toneladas em fevereiro mas receita cai

Capturas de pescado sobem 7,3% para 5.821 toneladas em fevereiro mas receita cai

 

Lusa/AO online   Economia   20 de Abr de 2018, 16:17

As capturas de pescado em Portugal cresceram 7,3% em fevereiro para 5.821 toneladas, impulsionadas pela maior captura de cavala e atum, segundo o boletim mensal da agricultura e pescas, divulgado esta sexta-feira pelo INE.

O total de pescado capturado, no período de referência, corresponde a uma receita de cerca de 16,9 milhões euros, menos 9,1% do que em igual período do ano anterior.

Por região autónoma, nos Açores foram capturadas 286 toneladas de pescado, o que se traduz num aumento de 1,4% face a fevereiro de 2017, devido à maior captura de atum.

Já na Madeira, as 203 toneladas capturadas representam um recuo de 29,1%, motivado pelo um decréscimo na captura de peixe-espada e atum.

“O volume de peixes marinhos a nível nacional (4.788 toneladas) aumentou 16% (+49,5% em janeiro). Para esta situação contribuiu sobretudo o volume da cavala, que triplicou a sua captura (+200,0%), com 939 toneladas, atuns (+6,2%), com 138 toneladas, e sardinha (+45,8%), com nove toneladas capturadas, exclusivamente nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira”, lê-se no documento.

Esta situação resulta da interdição da captura da sardinha no continente, que vigora até ao final de abril.

Contrariamente, registaram-se recuos nas quantidades pescadas (-24,1%) com 91 toneladas, de carapau (-18,4%), com 1.205 toneladas, e de peixe-espada (-14,9%), com 299 toneladas capturadas.

Por sua vez, o volume de crustáceos (73 toneladas) aumentou 30,3%, em comparação com o período homólogo, sobretudo devido ao maior volume de gamba branca e lagostim.

Os moluscos (916 toneladas) apresentaram um perda de 23,6%, destacando-se uma menor captura de polvo, de choco e de ameijoas.

“O preço médio do pescado descarregado foi 2,81 euros [por quilograma (kg)], ou seja, um decréscimo de 14,9%. O preço médio dos peixes marinhos (2,29 euros/kg) teve igualmente uma descida de 17,1%, para a qual contribuiu o menor preço registado na cavala (-41,6%)”, apontou o INE.

O preço dos crustáceos (14,06 euros/kg), por sua vez, recuou 14,9%, tendo o preço médio dos moluscos (4,85 euros/kg) registado uma subida de 3,2%, potenciada pelos “maiores preços atingidos por espécies como o polvo e o choco”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.