Candidaturas a apoios para investigação científica nos Açores com "forte adesão"

Candidaturas a apoios para investigação científica nos Açores com "forte adesão"

 

Lusa/AO Online   Regional   12 de Out de 2015, 14:24

O concurso lançado este ano pelo governo açoriano para apoiar a investigação científica registou uma "forte adesão", com 71 candidaturas a proporem projetos em três eixos prioritários, mas só 20 terão, à partida, financiamento, que aumentou face ao anterior concurso.

 

“Estamos muito satisfeitos por esta adesão tão grande. O montante total que está a ser pedido nestas candidaturas seria na ordem dos 10,2 milhões de euros, num concurso que tem como envelope financeiro 2,9 milhões. Vamos ter bastante competitividade porque assegura, assim, que só mesmo os melhores projetos serão financiados”, disse o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia.

Fausto Brito e Abreu falava aos jornalistas a propósito do concurso público para apoiar projetos alinhados com a Estratégia de Investigação e Inovação para uma Especialização Inteligente para a Região Autónoma dos Açores (RIS3), que terminou a 28 de setembro.

Este concurso é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (Feder) e pelo orçamento regional e cada projeto de investigação deverá ser executado num prazo até três anos e ter um custo máximo elegível de 150 mil euros.

À partida só 20 projetos terão financiamento para investigação científica.

Segundo o Governo dos Açores, o anterior concurso lançado pelo executivo açoriano para o financiamento de projetos de investigação científica, em 2012, tinha uma dotação afeta de 720 mil euros e um apoio máximo por projeto de 40 mil euros.

“Aumentámos os 700 mil euros para 2,9 milhões e estamos a prometer mais dois concursos destes com intervalos de dois anos, e o montante máximo de cada projeto em três anos passou de 40 mil euros para 150 mil euros”, salientou o secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia, indicando ainda que o investimento médio por projeto, das candidaturas apresentadas, é de cerca de 144 mil euros.

Fausto Brito e Abreu referiu ainda que se trata de projetos cujo investimento proposto revela "uma boa distribuição" por eixos prioritários estratégicos como, por exemplo, a agricultura, pecuária e agroindústria (37%), que corresponde “a um investimento total proposto de 3,8 milhões de euros repartido por 26 candidaturas".

O mar e as pescas (27%) correspondem a um investimento total proposto de 2,7 milhões de euros, repartido por 19 candidaturas, enquanto o turismo (22%) é alvo de propostas num total de 2,2 milhões de euros, repartido por 16 candidaturas.

O governante disse ainda que surgiram "10 candidaturas que são transversais a mais do que um eixo prioritário que correspondem a 14% do total apresentado e que se enquadram em mais do que uma categoria", cruzando o mar, o turismo e agricultura.

As candidaturas submetidas vão ser agora objeto de análise pela Direção Regional da Ciência e Tecnologia e posteriormente enviadas a um júri de avaliação externo, integrando peritos de fora da região, principalmente "diretores de centros de investigação no continente cujos centros tiveram avaliações de excelente ou muito bom".

O executivo açoriano espera que em novembro ou dezembro os resultados já possam ser conhecidos.

O secretário regional do Mar, Ciência e Tecnologia frisou a grande aposta na investigação científica para que se possa também manter na região uma massa crítica de mérito e investimentos direcionados para áreas que vão ser estratégicas para o desenvolvimento.

O governante avançou ainda que conta lançar até final do ano o concurso para bolsas de doutoramento e pós-doutoramento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.