Candidata do PS pelo Faial responsabiliza PSD e CDS pela não ampliação de aeroporto


 

  Regional   8 de Set de 2016, 07:12

A cabeça de lista do PS pelo círculo do Faial nas eleições de 16 de outubro, Ana Luís, responsabilizou na noite de quarta-feira o PSD e CDS pela não ampliação da pista do Aeroporto da Horta.

 

Num comício de apresentação da lista de candidatos pela ilha do Faial nas eleições legislativas regionais, que decorreu no Teatro Faialense, Ana Luís lembrou que a obra não avançou, mas não por culpa do Governo Regional do PS, ao contrário do que a oposição tenta agora fazer crer.

"Onde é que eles estavam quando o Governo PSD/CDS negociou a privatização da ANA e abandonou o Faial", perguntou a candidata socialista, adiantando que também não ouviu críticas da oposição, quando a TAP "decidiu deixar de voar para o Faial".

Numa alusão à manifestação popular que na tarde de quarta-feira juntou cerca de 400 pessoas fora da sede do Parlamento a exigir melhores condições de operacionalidade no Aeroporto da Horta, Ana Luís lembrou que a companhia aérea SATA, "foi a única que não nos abandonou".

"Se a SATA não tivesses dito prontamente que assegurava as ligações para a Horta, hoje o Faial estaria exatamente igual há 20 anos atrás, em termos de acessibilidades, e nós não queremos voltar para 20 anos atrás", advertiu.

Ana Luís, 40 anos de idade, economista, recandidata-se a um segundo mandato como deputada ao Parlamento dos Açores, depois de ter assumido, ao longo da legislatura que agora termina, o cargo de presidente da Assembleia Regional.

"Esta é uma lista sem medo da crítica fácil, do bota a baixo em vésperas de eleições, muitas vezes escondido em perfis falsos das redes sociais", garantiu a candidata socialista, lamentando que o "lado nobre" da atividade política não seja reconhecido em vésperas de eleições.

A cabeça de lista do PS pelo círculo do Faial lembrou que os últimos quatro anos "não foram fáceis", devido à austeridade imposta pelo Governo da República PSD/CDS, "castigando as famílias, as empresas e as instituições", e gerando desemprego.

Ana Luís lembrou que o PS é um partido "diferente" e que essa realidade já foi possível constatar no Governo de António Costa e é também possível de verificar no atual executivo açoriano, liderado por Vasco Cordeiro.

"O PS é um partido das pessoas e sempre disse presente quando foi necessário apoiar as crianças e os idosos", insistiu a candidata socialista, recordando também o apoio às famílias e às empresas que passavam dificuldades.

"Fizemos isto tudo com uma gestão rigorosa e responsável dos dinheiros públicos, respeitando os impostos que todos nós pagamos e transformando os Açores na única região do país que não foi alvo de resgate financeiro", adiantou a cabeça de lista do PS pelo Faial.

A Horta, o único concelho da ilha do Faial, tem votado tradicionalmente no Partido Socialista, que gere os destinos do município há 27 anos consecutivos, num arquipélago também liderado pelo PS há quase 20 anos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.