Campanha de Dilma Rousseff decreta luto de três dias após morte de Eduardo Campos

Campanha de Dilma Rousseff decreta luto de três dias após morte de Eduardo Campos

 

Lusa/AO online   Internacional   13 de Ago de 2014, 19:11

A direção da campanha da Presidente Dilma Rousseff, que concorre à reeleição ao cargo pelo Partido dos Trabalhadores (PT, de centro-esquerda), decretou luto de três dias devido à morte do candidato presidencial socialista Eduardo Campos.

 

Campos, de 49 anos, morreu na queda de um jacto particular hoje em Santos, no litoral de São Paulo.

No aparelho, um Cessna 560XL, seguiam sete pessoas e não houve sobreviventes, de acordo com fontes do Partido Socialista Brasileiro (PSB), citadas pela imprensa brasileira. O avião atingiu três casas na queda, e deixou pelo menos dez feridos.

"Em função desse trágico fato, a direção nacional do Partido dos Trabalhadores decidiu cancelar todas as atividades públicas referentes à campanha eleitoral 2014 nas esferas nacional, estadual e municipal, em manifestação de luto com duração de três dias", afirma a nota do PT.

O PT lamentou a morte e manifestou solidariedade com a família, amigos e correligionários de Campos num momento que descreveu como sendo de "dor diante de tão grande perda".

Eduardo Campos era o terceiro candidato nas sondagens de intenção de voto, atrás de Rousseff e de Aécio Neves, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Aéciao Neves também cancelou todos os compromissos de campanha do dia.

O Congresso Nacional (parlamento) brasileiro interrompeu os trabalhos após a notícia da morte do candidato, que já foi deputado federal, governador de Pernambuco e ministro da Ciência e Tecnologia, durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

Casado com Renata Campos, Eduardo Campos deixa cinco filhos.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.