Câmaras municipais da ilha Terceira unem-se para falar a "uma só voz"

Câmaras municipais da ilha Terceira unem-se para falar a "uma só voz"

 

Lusa/AO Online   Regional   14 de Nov de 2014, 14:50

As duas câmaras municipais da ilha Terceira, nos Açores, vão passar a reunir-se pelo menos uma vez por ano em jornadas intermunicipais para decidirem as questões estruturantes para a ilha, foi hoje anunciado.

"Nos locais próprios e em termos da defesa dos interesses da ilha falarmos numa voz só relativamente a todas as matérias que dizem respeito à Terceira é determinante", salientou Roberto Monteiro (PS), presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, numa conferência de imprensa, onde leu as conclusões das primeiras Jornadas Intermunicipais da Ilha Terceira.

Para Roberto Monteiro, este é o ‘timing’ ideal para a união das duas autarquias, tendo em conta a entrada num novo quadro comunitário de apoio.

Álamo Meneses (PS), presidente da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, considerou que "era a questão que durante muito tempo faltou" na Terceira, pelo que é "fundamental" que a ilha enfrente novos desafios em uníssono, como os problemas dos transportes, o autoabastecimento alimentar, a diversificação agrícola, ou a necessidade de criação de programas de emprego.

"Mais importante do que qualquer um destes pontos é o facto de ter sido possível finalmente conciliarmos os interesses de ambos os municípios e encontrarmos aqui uma plataforma de entendimento que permita que os dois lados digam a mesma coisa e que nós, em representação de quem nos elegeu, que foi o povo da ilha Terceira toda, tenhamos uma posição agregadora em relação às matérias que são estruturantes para o futuro da ilha", frisou.

Do primeiro encontro entre as autarquias ficou decidida uma ação conjunta na defesa da criação de uma plataforma logística regional para o tráfego marítimo de mercadorias no Porto da Praia da Vitória e a colaboração na concretização do Parque Tecnológico da Ilha Terceira, em Angra do Heroísmo.

Ainda em matéria de transportes, os municípios vão manifestar preocupação com os ajustamentos decorrentes das alterações no serviço público de transporte aéreo e defender a dinamização de ligações marítimas no grupo central com maior rapidez e frequência, através do Porto das Pipas, em Angra do Heroísmo.

As autarquias vão também partilhar ações no âmbito do Plano Municipal de Mitigação do Impacto da Redução do Efetivo Militar dos Estados Unidos na Base das Lajes, já apresentado aos governos da região e da República, bem como na reivindicação de garantias de descontaminação de solos e aquíferos.

Os dois concelhos vão defender a reestruturação do campus de Angra do Heroísmo da Universidade dos Açores e a implementação de um plano intermunicipal de ensino profissional, que garanta a formação de técnicos especializados nas áreas tecnológicas que potenciem os eixos do Plano Estratégico de Desenvolvimento da Ilha Terceira.

As câmaras municipais de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória vão ainda defender junto do Governo Regional o caráter estratégico da Central de Valorização de Resíduos e a construção de uma central hídrica reversível.

Em resultado das jornadas, serão também criadas equipas intermunicipais para estudar sinergias e otimizar recursos em questões como a gestão territorial, as cartas educativas municipais e o abastecimento de água.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.